segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Boletim de agosto de 2017



Palestra de agosto de 2017

Os meus sinceros agradecimentos a todos que vieram reverenciar e participar da Cerimônia Mensal de agosto do Kyokai. Agradeço também a dedicação de todos aos afazeres do Caminho no dia a dia, e aos trabalhos do Kyokai. Muito obrigado.
         No mês passado, Bruno Kenji Arakawa fez o regresso a Jiba para participar do Seminário de Oyasato.
Além disso, Douglas Takeo Ota participou do Shuyokai, realizado durante o mês passado.
Foi realizado também, a caravana de missionamento do Seinenkai do Brasil e Tadaharu Ota e Rodrigo Kawaguti fizeram parte do grupo, formado de 12 pessoas que foram para a cidade de Joinville, em Santa Catarina.
         Este mês está fazendo 37 anos desde que este shinden foi inaugurado, graças a dedicação de muitas pessoas que hoje não estão mais presentes. Entretanto, por ter havido a sinceridade dessas pessoas e de muito dos senhores que estão presentes hoje é que mensalmente, estamos podendo realizar alegre e animadamente o Serviço Sagrado da salvação ensinado pela Oyassama.
         Antes de fazer a palestra, gostaria que o participante do Seminário de Oyasato, do Shuyokai e da caravana de missionamento falassem um pouco sobre a experiência.

         Muitas pessoas já devem estar sabendo sobre o ocorrido com o Kanrodai, Pedestal do Néctar, que está edificado em Jiba da origem. Em primeiro lugar, vou ler a mensagem do Reverendo Yamazawa, que é o diretor geral de assuntos religiosos, publicado no jornal Tenri Jiho:
“Às 18:20 hs, do dia 26 de julho, ocorreu um lamentável ‘nó’. Uma pessoa atravessou o limite permitido do Recinto de Reverência da Sede da Igreja e derrubou a parte superior do Kanrodai. Depois, o Serviço vespertino foi realizado normalmente no horário determinado.
         Após o Serviço, imediatamente foi realizada a reunião com os diretores da Sede, onde, inicialmente, houve as palavras do Shimbashira. Em seguida, todos os diretores deliberaram em relação a este ‘nó’.
A respeito do ‘nó’ ocorrido no entardecer do dia 26 de julho.
         Foi-nos mostrado este grande ‘nó’ do Kanrodai.
         Não encontro palavras para me desculpar a Deus-Parens que se encontra estabelecido em Jiba e a Oyassama eternamente viva.
         Tenho feito diversas reflexões por ser alguém que se dedica perto de Jiba e peço desculpas a todos os regressantes que ficaram preocupados com o fato, pois hoje, além de ter sido o dia da Cerimônia mensal é também o início do período do Regresso das Crianças a Jiba.     
Deus-Parens, Oyassama e Jiba são uma única razão. O Kanrodai edificado em Jiba é o centro da nossa fé. O fato de ter sido mostrado este ‘nó’, neste local, nos leva a fazer uma firme e profunda reflexão sobre a nossa postura de fé que estava ou não amparada plenamente na intenção de Deus-Parens. Penso que cada um de nós temos a necessidade de confirmarmos novamente o espírito de devoção única a Deus e a dedicação sincera a Jiba. A devoção única a Deus significa ajustar o nosso pensamento de acordo com o ensinamento e, não interpretar o ensinamento conforme a nossa vontade. Temos o dever de estabelecer, mais uma vez, esse fato em nosso coração.
Atualmente, existem somente dois blocos inferiores do Kanrodai que estão na área sagrada. Em 1881, houve a interrupção das obras do Kanrodai de pedra que estavam prontas até o segundo bloco. No ano seguinte, os blocos foram confiscados. Os mestres antecessores passaram dedicando-se de corpo e alma a este Caminho, deixando-nos o aspecto atual.
Ao pensar sobre isso, com o firme propósito de se fazer a reflexão, percebi o meu sentimento de comodismo e conveniência, achando ser algo natural realizar o Serviço e reverenciar o Kanrodai como nos dias de hoje.
Em primeiro lugar, todos nós que fazemos parte da Sede da Igreja, iremos renovar a nossa determinação espiritual, mantendo a sincera postura de buscar a intenção de Deus-Parens e dedicar para poder corresponder ao seu desejo.
A todos os yoboku e fiéis, desejo que façam deste ‘nó’ como algo próprio e, com o sentimento de tranquilizar Deus-Parens, o Parens verdadeiro, tenham esse fato como uma oportunidade para aprimorar o espírito de cada um.
Solicito a todos que continuem se dedicando para tornar este ‘nó’ em algo valioso e significativo.”

Desta forma, mesmo todos nós estando distante de Jiba, mas como seguidores do ensinamento de Oyassama, creio que devemos fazer uma reflexão da nossa postura e atitude espiritual em relação a nossa fé. De modo algum, devemos pensar que seja um fato isolado ou que foi uma fatalidade. A culpa não está na pessoa que derrubou ou dos plantonistas que no momento estavam no Shinden e não impediram que isso fosse acontecer.
Como seguidores do ensinamento, sabemos que esse grave ‘nó’ que foi mostrado é uma orientação ou até uma advertência de Deus-Parens para todos.
Com o término das atividades dos 130 anos de Oyassama, no ano passado, pode ser que ficamos um pouco acomodados ou achando que o nosso trabalho tenha terminado e fosse o momento de descansar. Mas sabemos que no caminho desta fé, não existe descanso. Deus-Parens e Oyassama esperam ansiosamente o nosso crescimento espiritual. Esperam que nós, yobokus, façamos o trabalho de salvação.
         Assim, como foi dito na mensagem, devemos manter firmes o nosso espírito e continuar dedicando ativamente nas atividades. Creio que essa nossa determinação irá contentar Deus-Parens e alegrar a Oyassama.
        Já foi informado que a cerimônia de troca do Kanrodai será no dia 24 de agosto.
         Mudando de assunto, gostaria de falar sobre uma importante atividade que será promovido pelo Hombu, Sede da Igreja.
A partir de agosto deste ano até março do ano que vem, em Jiba, será realizado o Curso de Sucessores. O último curso de sucessores foi realizado a 10 anos atrás. Creio que algumas pessoas aqui tenham participado, naquela época.
Os participantes são pessoas de 20 a 40 anos, seguidores deste Caminho. No Brasil, este curso será realizado nos dias 30 e 31 de março do ano que vem, no Dendotyo. O conteúdo do curso será o mesmo de Jiba. Este curso será realizado seguindo o desejo do Shimbashira-sama, de acordo com a palestra que ele fez na celebração dos 130 anos do Ocultamento Físico de Oyassama.
Ele explanou: ‘Normalmente imagina-se que formar as pessoas esteja relacionado aos jovens, mas na formação do yoboku, não se distingui se é jovem ou idoso. Se houver um yoboku que não ministra o Sazuke, então devemos persistir em trabalhar ativamente e fazer a orientação para que este possa ministrar o Sazuke, pois isso também é uma importante ação na formação dos recursos humanos.’
Significa que o Shimbashira-sama deseja a criação e a formação do yoboku de todas as idades. A formação dos jovens certamente é uma semente de esperança para o futuro, mas a orientação dos yoboku de idade mais elevada é uma questão atual. O ideal é que todos os yoboku que receberam a razão do Sazuke possam fazer a ministração. Por isso, é preciso fazer a formação e dar a orientação para que os yoboku se tornem capazes de ministrar o Sazuke.
Sobre o propósito e o objetivo do curso, tem-se: Atualmente deseja-se veementemente a formação dos recursos humanos que se encarregarão do futuro do Caminho. Especialmente o cuidado com os jovens é uma tarefa importante. Cada pessoa que foi atraída ao Caminho por uma predestinação, conscientizando-se que é um sucessor do Caminho que sucederá o caminho aberto pela Oyassama, cada qual em sua função e posição, encarregando-se firmemente na missão do Caminho, deseja-se que formem em recursos humanos imprescindíveis às atividades da igreja. Assim, reunindo jovens sucessores do Caminho no Dendotyo do Brasil, como local para estudos em conjunto, realizaremos o Curso de Sucessores.
Não podemos esquecer que antes de dar a orientação para as pessoas, para os jovens, é preciso, em primeiro lugar, fazer o próprio crescimento espiritual. E com isso, dedicar firmemente na educação e formação dos recursos humanos.
Deste modo, desde já, o Dendotyo está pedindo a maior participação neste curso. Espero que do nosso Kyokai, todos que estão na faixa de 20 a 40 anos participem deste curso, em março do ano que vem.       

Agradecendo a presença e a participação de todos e também dos deliciosos pratos trazidos para o naorai que vamos fazer logo em seguida comemorando os 37 anos de inauguração do shinden, termino as minhas palavras. Muito obrigado.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Boletim de julho de 2017



Palestra de julho de 2017

            Os meus sinceros agradecimentos a todos os presentes que vieram participar e reverenciar a cerimônia mensal de julho do Kyokai. Agradeço também pela dedicação aos afazeres do Caminho e também pela sincera dedicação às atividades do Kyokai.
No início de mês, houve a caravana de regresso a Jiba, e um pessoa, Bruno Arakawa, está participando do Seminário de Oyasato. Além disso, desde o dia 1°, está sendo realizado o Shuyokai no Dendotyo, com a participação de      pessoas e o meu filho Takeo também está fazendo o seminário.

Todos nós já sabemos que durante o período de vida normal de um ser humano, é natural que passemos por vários momentos de alegrias e também momentos de aflição e sofrimentos. Em todas as épocas, os homens vieram buscando a saúde, o conforto e a felicidade. Porém, inesperadamente, em algum momento da vida, mesmo não desejando, aparecem as enfermidades, as doenças, e também surgem problemas de relacionamento no trabalho ou na família e, em alguns casos, é preciso se deparar com um desastre ou uma catástrofe.
Temos no Hino III dos Hinos Sagrados:
Não há algo tão penoso como as doenças.
Doravante, eu também farei o hinokishin.    
Numa situação em que não se tem o efeito desejado mesmo usando todos os recursos da medicina e, também, recorrendo às orações nos templos e santuários, qualquer que seja a pessoa, quando recebe a salvação da doença que o aflige, sente verdadeiramente a gratidão pelas providências recebidas de Deus-Parens. Essa alegria, naturalmente, deve se direcionar à realização de ações de retribuição às graças recebidas.
Nessas oportunidades, começamos a perceber o quanto é gratificante aquilo que até então pensávamos ser óbvio e natural, como o fato de viver todos os dias com saúde. Além disso, somente quando adoecemos é que percebemos que não conseguimos fazer nada com a nossa própria força, ou seja, somente nessa hora é que sentimos efetivamente o ensinamento da coisa emprestada e tomada emprestada.
Nas Indicações Divinas, é ensinado:
“Se não houver a dor e a aflição, não compreenderão a liberdade do corpo. Sendo assim, se diz emprestado. Se o corpo é emprestado, tudo é emprestado. O corpo não fica conforme o pensamento de cada um. Não tem liberdade porque é emprestado.” (I.D. 01/06/1899)
Dessa forma, Oyassama ensinou sobre a vontade do Parens às pessoas que vinham à Residência unicamente para solicitar a salvação pessoal ou de familiares, esclarecendo sobre o fato de que o corpo era algo emprestado por Deus.
Pensando bem, mais do que receber uma salvação maravilhosa, se conseguirmos viver todos os dias com saúde, sem ter essas aflições, ficaríamos muito mais agradecidos. No entanto, quando estamos bem de saúde, é difícil ter ou esquecemos desse sentimento de gratidão.
            É ensinado que este Caminho de Oyassama é o caminho da dedicação sincera à salvação e também, o caminho da retribuição. Fazer a retribuição significa manifestar através da prática, o espírito de gratidão por estarmos recebendo de Deus-Parens, no dia a dia, a sua imensa providência.
A maioria das pessoas do mundo, está vivendo com o pensamento de que diariamente, se alimenta, dorme, trabalha e passa os momentos de lazer de acordo com a própria vontade. Porém, tudo isso é possível devido à providência de Deus-Parens. Essas pessoas, por não conhecerem sobre Deus-Parens e o seu amor parental, estão perdidas na escuridão do próprio espírito. Por isso, nós yoboku, temos que transmitir a um grande número de pessoas e rapidamente, a verdade de que estamos sendo vivificados por Deus-Parens, para que possam sentir e reconhecer essa providência.
A retribuição pode ser manifestada de várias formas como o hinokishin, a dedicação aos pais, fazer a oferenda, a condução e a frequência diária a igreja, a divulgação e salvação e outras coisas. Ainda, a caminhada dos 50 anos da vida-modelo de Oyassama é o ‘caminho da conclusão do Serviço’. Por isso, realizar o Serviço de acordo como foi ensinado por Oyassama é um modo de satisfazer e contentar Deus-Parens e Oyassama e, com certeza, é a melhor maneira de se fazer a retribuição.
             Não podemos esquecer a alegria por estarmos sendo vivificados diariamente por Deus-Parens e devemos sentir gratidão pelas providências recebidas pelo corpo emprestado. Através do espírito de se fazer a retribuição por essas graças é que dedicamos a sinceridade com o sentimento de desejar salvar as pessoas ou que sejamos usados nos trabalhos da salvação. É essa atitude que Deus-Parens está esperando de todos nós. Além disso, a dedicação através da oferenda em dinheiro não é feito pelas pessoas que tem sobrando ou que tem suficientes condições financeiras. O importante é dar o máximo de si, é fazer com determinação. Não se faz a dedicação porque tem condição ou está sobrando, mas dedicar a sinceridade mesmo em meio as dificuldades é que tem o seu valor.
            O motivo de fazermos a dedicação neste Caminho, como disse, é para manifestarmos a gratidão a Deus-Parens por estarmos recebendo plenamente a sua graça e proteção no dia a dia. Foi nos ensinado que essa dedicação pode ser comparada com o plantio de sementes. Na Indicação Divina, tem-se:
            “Deus tem aceito todas as sementes plantadas. E as sementes aceitas brotarão todas.” IND. 28 de janeiro de1891
            No mundo de Deus, não haverá uma semente que irá apodrecer ou falhar. Está garantindo que tudo que dedicarmos no dia a dia, nascerá e dará frutos. Foi ensinado também que este Caminho não se resume apenas a uma geração. É por isso que a maioria de nós está aqui, no dia hoje, por estarmos dando continuidade à fé dos nossos antepassados. Isso porque o ensinamento de Oyassama não se limita apenas à salvação de uma geração ou somente desta vida. A salvação de Oyassama é para todas as gerações, porque o desejo de Deus-Parens é concretizar a vida plena de alegria e felicidade.
            Todos nós, yoboku, quando recebemos o Dom do Sazuke, aprendemos que o Sazuke é o tesouro para todas as gerações, ou seja, é um tesouro eterno. Entretanto, algumas pessoas podem pensar: Como pode ser eterno se a nossa vida é limitada? Nas palavras divinas temos que ‘o corpo é de uma geração, a alma é para todas as gerações’. Assim, significa que esse tesouro é algo que fica guardado em nossa alma para a eternidade.
            Esse tesouro guardado em nossa alma é a virtude e o mérito concedido por Deus. A virtude que acumulamos a cada oportunidade que ministramos o Sazuke aos enfermos é algo que vai sendo guardado em nossa alma e será levado também para as próximas gerações. É por isso que foi ensinado que o Sazuke é o tesouro eterno, pois através da ministração do Sazuke, acumulamos as virtudes não só para essa geração, mas ficará guardada em nossa alma e se tornará em um tesouro para todas as próximas gerações.
            Quando renascermos no futuro, vamos trazer em nossa alma, esse tesouro, essa virtude que foi acumulada através da nossa dedicação nesta vida. Deste modo, entendemos a importância de fazermos a retribuição das graças recebidas, dedicando ao máximo na prática do ensinamento no nosso dia a dia.
            Certo dia, durante uma chuva muito forte, Oyassama disse a um mestre:
- Coloque um tacho e uma tigela no quintal.
O mestre fez como foi pedido e em pouco tempo a água da chuva encheu por completo os dois recipientes, chegando até a transbordar. Então, Oyassama disse:
- O que pensam sobre isso?
As pessoas que estavam a sua volta não sabiam o que responder. Assim, Oyassama deu a seguinte explicação:
- A razão concedida por Deus é única, porém a razão muda de acordo como é aceita pelo espírito de cada pessoa.
A quantidade de água do tacho é bem maior em comparação com a quantidade que está na tigela. Mas isso não significa que choveu mais sobre o tacho e menos sobre a tigela. A chuva foi por igual. Esta é a razão do céu, ou seja, as graças e as providências de Deus são iguais para todos. A diferença está no tamanho do espírito.
O que muda é a maneira de como o espírito do ser humano aceita ou compreende esta razão. E isso é que faz surgir as diferenças. Oyassama, através dessa alegoria, tentou mostrar e explicar a verdade desta razão celeste.
Assim, como o tamanho do nosso espírito é determinado de pessoa para pessoa, dentro existem tanto as poeiras que viemos acumulando como também os méritos. O fato de Oyassama ter ensinado a importância de fazermos a retribuição das graças através da dedicação é para diminuirmos as poeiras do nosso espírito, e no lugar encher de virtudes. Como o tamanho do espírito é limitado, em primeiro lugar, precisamos abrir um espaço tirando as poeiras. Senão, mesmo que Deus-Parens nos conceda as virtudes, elas irão derramar e se perderão, por não ter espaço suficiente em nosso espírito.
Para aumentarmos o tamanho é que Oyassama ensinou o caminho da retribuição. Praticar os ensinamentos é a forma de limparmos as poeiras do espírito, ou seja, abrir o espaço para poder colocar no lugar, as virtudes concedidas por Deus. Melhor ainda, seria poder acumular em nossa alma o tesouro eterno que é a virtude concedida através da ministração do Sazuke, ao solicitarmos a graça da salvação de alguém que está enfermo e sofrendo com a doença.
Com isso, mesmo que nessa geração não cheguemos à vida plena de alegria e felicidade, com esse eterno tesouro, com essa virtude acumulada em nossa alma, no próximo renascimento, estaremos bem mais perto da vida radiante de alegria. Se pensarmos apenas nessa geração, apenas nessa vida, poderemos ficar inseguros, pois não sabemos nem o que pode acontecer amanhã. Entretanto, sabendo que todas as sementes plantadas no terreno de Deus, irão brotar sem falha, nos dá uma grande esperança. Creio que Oyassama também espera isso de todos nós.

Agradecendo mais uma vez pela presença de todos, termino as minhas palavras. Muito obrigado.

Boletim de junho de 2017



Palestra de junho de 2017

Os meus sinceros agradecimentos a todos os presentes que vieram participar e reverenciar a cerimônia mensal de junho do Kyokai. Agradeço também pela dedicação aos afazeres do Caminho e pela dedicação nas atividades do kyokai. Muito obrigado.

         Na nossa convivência dentro da sociedade, conhecemos e vivemos com muitas pessoas, sejam elas seguidoras da mesma fé ou de outras religiões. Mesmo dentro da família, muitas vezes, existem parentes que não são da Tenrikyo.
         Se nos colocarmos na posição de sermos fiel desta fé, creio que a maioria convive diariamente com pessoas que não são do Caminho, como os colegas do trabalho, com os vizinhos, com os amigos e até alguns familiares. Na minha posição, posso dizer que tenho o dia a dia mais envolvido com os seguidores e fiéis.
         Assim, todos nós, já passamos pela situação de sermos perguntados sobre a nossa religião. Muitas vezes, já nos perguntaram: ‘O que é o Tenrikyo?’ Ou, ‘Como é o ensinamento da Tenrikyo?’ É uma pergunta que todos fazem, logicamente por nunca terem ouvido sobre o nosso Caminho. É uma curiosidade.
         Procuramos responder dizendo de forma simples que o nosso ensinamento começou no Japão, há 180 anos, com o objetivo de salvar todas as pessoas e assim, concretizar o mundo de vida plena de alegria e felicidade. Dizemos que o nosso Deus chama-se Tenri-Ô-no-Mikoto e a pessoa que transmitiu o seu ensinamento foi a senhora Miki Nakayama, ou seja, a Oyassama.
         Podemos ainda explicar a doutrina básica, falando sobre as 10 providências divinas, a respeito da coisa emprestada e tomada emprestada e, as oito poeiras espirituais. Dizemos que através da oração chamado Tsutome, Serviço Sagrado, solicitamos a graça da salvação de todas as coisas a Deus-Parens e ministramos o Sazuke pedindo a salvação dos enfermos. Como uma forma de agradecer e retribuir as graças concedidas por Deus, praticamos o hinokishin.
         Deste modo, procuramos explicar um pouco do nosso ensinamento. Creio que todos já devem ter tido este tipo de experiência, alguma vez. Entretanto, será que já fizeram a seguinte pergunta: ‘por que você é fiel da Tenrikyo?’ Esta é uma questão bem diferente da primeira pergunta. É uma questão que envolve a fundamento da fé de cada pessoa.
         Para esta pergunta, creio que podemos dividir em três respostas. A primeira é sobre o passado. Ou seja, o que levou o antepassado entrar para a fé, ou o dia original da sua própria fé e da família. Pode-se responder que graças à fé dos antepassados é que você existe nos dias de hoje.
         A segunda é sobre o presente. Responder que o ensinamento da Tenrikyo é a base, é o indicador que conduz a sua vida. A prática constante do ensinamento faz com que se possa enfrentar as dificuldades e por amparar-se em Deus-Parens e Oyassama, sente gratidão pelas graças recebidas.
         A terceira resposta é sobre o futuro. Sabendo que este é um maravilhoso ensinamento, ter o sentimento de transmitir para outras pessoas também e aumentar cada vez mais os seguidores, visando a concretização da vida plena de alegria e felicidade.
Na verdade, estas três respostas não é para ser dada apenas quando fizerem esta pergunta, mas é uma questão que, como seguidores, devemos fazer a nós mesmos como um meio reflexão da nossa própria conduta espiritual.
Explicando um pouco mais em detalhes, a primeira resposta, tendo como base o passado. Mesmo aqui no Kyokai, existem pessoas de várias gerações que seguem este Caminho. Tanto da primeira geração até de quarta ou quinta geração dentro da fé.
A pessoa da primeira geração pode responder que entrou para a fé devido a uma imensa graça da salvação concedida por Deus, ou que foi convidado por um amigo ou missionário e se identificou com o ensinamento. Temos muitas pessoas da primeira geração devido ao casamento, também.
Para mim e muitas outras pessoas que já são de várias gerações, podemos responder sobre o dia original do primeiro antepassado, ou o dia original da família, da graça recebida de uma grave doença ou a solução de um difícil problema. E por ser a fé da família por várias gerações é que você também, está dando continuidade, por reconhecer a importância de crer em Deus.
Nos episódios da vida de Oyassama, temos:
“Deus diz que espera o aparecimento dos filhos mostrando a predestinação nos pais. De maneira que a virtude torna-se maior na segunda geração do que na primeira, maior na terceira do que na segunda. A virtude aumente e torna-se a virtude de todas as gerações. Segundo a virtude espiritual das pessoas, tanto há pessoas com virtude para uma geração, como pessoas para duas, três gerações. Ainda há pessoas com virtude para todas as gerações. Com a continuidade dessa virtude, é que as pessoas de má predestinação se tornam de boa predestinação.”
Segundo estas palavras de Oyassama, está claro a importância da continuidade da fé e também a nossa reflexão em relação ao dia original do motivo que levou o primeiro antepassado a entrar para este Caminho. É importante conhecermos essa predestinação, e aumentar a virtude a cada geração, para que esta má predestinação não volte a ser manifestada novamente.
Em relação à segunda resposta sobre o presente, respondemos que por termos o ensinamento de Oyassama como base das nossas ações e como norma espiritual é que podemos viver e passar o cotidiano amparado em Deus-Parens.
Significa que reconhecemos a doutrina básica de que estamos sendo vivificados por Deus que nos emprestou o corpo e nos deu a liberdade do uso do espírito. Ou seja, sentimos gratidão pelas dez providências divinas concedidas ao corpo, a graça da saúde e, nos esforçamos em fazer a limpeza do espírito, tendo como base de reflexão as oito poeiras espirituais.
Respondemos que através da prática do ensinamento, temos a convicção de que cada vez mais estamos levando uma vida mais alegre e feliz. Entretanto, isso não significa que somente por seguirmos esta fé, estaremos livres das doenças e dos problemas.
Já sabemos através da doutrina que as doenças e os problemas que surgem são manifestações das poeiras acumuladas pela própria pessoa e, Deus-Parens, desejando a nossa salvação, é que nós dá as devidas orientações para reformarmos para melhor o nosso espírito. Ou seja, como foi dito nas palavras de Oyassama, as orientações são uma forma para que cada um de nós possa aumentar e acumular cada vez mais as virtudes e os méritos e, assim, diminuir ou até extinguir as más predestinações.
Como uma forma de se fazer a retribuição da gratidão a Deus-Parens é que foi ensinada a prática do hinokishin e também a salvação das pessoas. Não podemos esquecer também da realização do Serviço Sagrado e da ministração do Sazuke. No Ofudessaki, temos:
Como me preocupo em dar uma maior felicidade, ela se impregnará plenamente. Tenham prazer. ED. II-42
Como Deus-Parens deseja proporcionar felicidade às pessoas, para quem corresponder à sua intenção, esta felicidade virá plenamente, por isso, devem viver com esperança.
Podemos responder que no presente seguimos e praticamos o ensinamento de Oyassama, por acreditarmos que este é o Caminho que nos conduzirá certamente para a vida plena de alegria e felicidade.
A terceira resposta sobre o futuro. Pelo fato de termos continuado a fé dos antepassados, sabemos como este ensinamento é maravilhoso. Por isso, o desejo é que cada vez mais, outras pessoas venham a conhecer Deus-Parens e Oyassama e também possam seguir o caminho para a felicidade.
A prática da divulgação e da salvação é aumentar o número de pessoas que venham a conhecer este ensinamento. Entretanto, isso não é somente para pessoas desconhecidas. Em primeiro lugar, devemos transmitir a fé dentro da nossa própria família. Esta fé não pode ser limitada apenas a uma geração, ou terminar na nossa própria geração.
Temos a obrigação de deixar transmitido o modo para se receber a graça da salvação para os nossos descendentes. Sabemos perfeitamente que, não será possível que nada de grave aconteça com os nossos filhos ou netos, apenas por que seguimos a fé. Como foi dito, cada um possui a própria predestinação.
Da mesma forma como nós temos certo conhecimento do ensinamento para fazermos a reflexão e a mudança espiritual diante de uma orientação, seja ela doença ou problema, mostrada por Deus, temos que deixar transmitido isso também para a próxima geração. Pois, se não souberem, com certeza, terão que passar uma dificuldade e sofrimento ainda maior.
Ficaríamos muito tristes se soubéssemos, que no futuro, os nossos filhos ou netos, diante de uma grave doença ou grande problema, passarem por dificuldades, preocupações, aflições e sofrimentos, por não terem conhecimento e por não saberem o que fazer para receber a graça da salvação.
Creio que essa preocupação é também do Shimbashira-sama que, na palestra do Decenário de Oyassama, em janeiro de 2016, disse: ‘no dia de hoje, na celebração do decenário, acredito que devemos concentrar os esforços no aumento das atividades revendo novamente a formação em longo prazo dos recursos humanos que serão responsáveis pela continuidade do Caminho. O objetivo deste Caminho é a salvação de toda a humanidade e a concretização do mundo de vida plena de alegria e felicidade. É o Caminho que se estende por todas as gerações. É ensinado que: “é continuando que se diz Caminho”.’
Esse desejo foi logo colocado em prática pela Sede da Igreja, e a partir desse ano, de agosto, até março do ano que vem, será realizado o Curso de Sucessores, para jovens de 20 a 40 anos. Tem como objetivo a formação e a orientação dos jovens que futuramente darão continuidade ao Caminho. No Brasil, este curso será realizado no Dendotyo, em março do ano que vem.
No próximo dia 10, sábado, será realizado no Dendotyo a Assembleia Geral da Associação Feminina do Brasil, Fujinkai. Na Assembleia realizada em Jiba, a Presidente Mundial Harue Nakayama, esposa do Shimbashira-sama, disse em sua saudação:
“Como associadas, vamos nos esforçar em criar em orientar os novos yoboku para que possam seguir pelo caminho da dedicação sincera à salvação, almejando a concretização da vida plena de alegria e felicidade. Devemos dedicar para criar e educar os yoboku conscientes da sua missão e esta será a melhor maneira para contentarmos Oyassama.”
Assim, falou da necessidade de que todas as associadas precisavam ter isso em mente no cotidiano e trabalharem da melhor maneira para que essa orientação fosse realizada da melhor forma possível.
Espero que muitas associadas do Fujinkai possam estar participando da assembleia deste ano.
Em julho, a partir do dia 1° até o dia 28, será realizado o 114° Shuyokai do Brasil, Seminário de 28 dias. Este a Nami será a professora de instrumentos femininos, na segunda parte. Desde já, se houver pessoas acima de 17 anos que possam participar, gostaria que convidassem sem falta. Além disso, vamos ter também o Curso de Doutrina, Koshu de 5 dias que começa no dia 10 e vai até o dia 14 de julho. Fui escalado para dar aula no primeiro dia.
O Yonomotokai de São Paulo está promovendo o encontro do Condutor e esposa de Fukyosho que será realizado no dia 15 de junho, feriado, no kaikan, com a presença do Tyotoysama. Gostaria de contar com a participação de todos. Eu também estarei presente fazendo a tradução.
Agradeço a todos que tem trazido as coisas para o bazar e gostaria de pedir o hinokishin no dia 10 de junho, próximo sábado quando vai ser feito o bazar da pechincha. Hoje haverá os preparativos após o naorai. Conto com a colaboração de todos.
Agradecendo mais uma vez a todos pela reverência e participação no Tsukinamisai de junho, termino as minhas palavras.

Muito obrigado.

Boletim de maio de 2017



Palestra de maio de 2017

Os meus sinceros agradecimentos a todos pela presença e participação no tsukinamisai de maio. Agradeço a todos pela dedicação nas atividades do kyokai. Muito obrigado.
Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todas as pessoas que foram participar do Dia do Hinokishin, no dia 1° de maio, no Parque do Ipiranga. Recebendo a graça de um bom tempo, aproximadamente 800 pessoas estiveram se dedicando ao hinokishin este ano. Ainda, houve a arrecadação de quase 800 quilos de alimentos que foram doados para uma entidade que cuida de quase 200 crianças carentes. Muito obrigado a todos e espero que no ano que vem, mais pessoas possam estar participando do Dia do Hinokishin.
        
         O Shimbashira-sama em sua palestra de outubro passado, como na de janeiro deste ano, falou um pouco sobre a importância de não esquecermos de fazer a retribuição a Deus-Parens pelas graças que estamos recebendo no dia a dia. Fazer a retribuição não é apenas reconhecermos as graças concedidas por Deus ou somente entender que estamos sendo protegidos. Mas, devemos manifestar na prática esse nosso sentimento de gratidão.
         O sentimento de gratidão nasce a partir do momento em que estabelecemos e compreendemos do fundo do coração de que o corpo de cada um de nós é emprestado por Deus. Não somente é emprestado mas também estamos recebendo constantemente a providência divina para poder usar o corpo livremente de acordo com a nossa vontade. Ou seja, a graça da saúde. Oyassama ensinou que isso se refere as dez providências divinas.
         Se verificarmos nos episódios da vida de Oyassama, iremos perceber que existem muitos relatos onde os mestres que foram salvos de doenças difíceis e complicados, ao perguntarem como poderiam fazer para agradecer a graça recebida, sempre era orientado por ela: ‘Deve salvar as outras pessoas.’
         Por exemplo, no episódio 72, Há de Salvar-se, temos:
Mais ou menos em abril de 1880, Kozaburo Murakami da Região de Izumi, ainda em pleno vigor físico, perdeu a liberdade de movimento dos membros por causa da nevralgia da região ciática. Acometido por violenta dor chegou a perder até mesmo o apetite. Ele e os seus familiares viviam deprimidos como se tivessem sido jogados num abismo.
Com o desejo de curar-se de qualquer maneira, procurou um famoso médico que aplicava moxa, mas ficou desapontado ao saber da sua ausência. No entanto, lembrou-se da deusa viva de Shoyashiki, que ouvira dos seus empregados e dos comerciantes que frequentavam a sua casa. Já que viera até ali, dirigiu-se a Shoyashiki. Foi-lhe permitido encontrar-se com Oyassama, que lhe disse carinhosamente:
“Será salvo, será salvo, pois há de salvar-se.”
E fez-lhe várias explanações interessantes. Quando ia retirar-se, deu-lhe três doces manju e água abençoada. Kozaburo fez o caminho de volta revigorado como se o corpo e o espírito tivessem sido purificados.
Chegando em casa, não se sentiu cansado apesar da longa viagem de jinriquixá, pelo contrário, sentiu uma confortável sensação. Passou a água abençoada no quadril dolorido, orando: “Namu Tenri-Ô-no-Mikoto”. A dor desapareceu como num sonho, no terceiro dia.
O sentimento de gratidão conduziu-o naturalmente para Jiba. Regressando a Jiba, consultou a Oyassama como poderia retribuir a essa gratidão e teve estas palavras:
“Não é através do dinheiro e nem das coisas. Se está feliz por ter sido salvo, a melhor maneira de retribuir é salvar com essa alegria aqueles que desejam ser salvos. Por isso, se dedique firmemente na salvação.”
Seguindo essas palavras Kozaburo jurou dedicar-se ao caminho único da salvação.

Não somente neste episódio, em muitos outros, Oyassama deu este tipo de orientação e deste modo é que o Tenrikyo foi se espalhando por todas as partes. As pessoas que foram salvas, saíram para fazer a divulgação como forma de retribuir a graça recebida.
Além disso, no trecho: ‘fez várias explanações interessantes’, podemos imaginar que Oyassama falou sobre as dez providências do corpo baseado no ensinamento da razão da criação dos seres humanos.
É ensinado que a história da criação original é a base de toda a doutrina. Se não soubermos sobre a razão da origem, não temos como compreender e explicar sobre o restante do ensinamento.
Para que a pessoa possa compreender sobre a graça e o trabalho de Deus-Parens, em primeiro lugar, precisamos explicar que este mundo e o corpo do ser humano foi criado por Deus. Depois da criação, o corpo foi emprestado ao nosso espírito. Para isso, é necessário falar sobre a criação original, quando Deus reuniu os instrumentos do mar de lama e concedeu as dez providências divinas ao corpo. Com isso, é possível compreender que somente o espírito do ser humano é algo próprio. Todas as pessoas do mundo estão sendo vivificadas por Deus. Não existe uma pessoa sequer que esteja vivendo através da sua força, inteligência ou pelo dinheiro que possui.
Entendendo sobre o corpo que é um empréstimo de Deus e o espírito é de cada um, iremos entender sobre a existência das poeiras espirituais que são a causa das doenças e que o acumulo excessivo dessas poeiras dá origem as más predestinações.
Deste modo, para se receber a graça da cura da doença ou da solução do problema, é preciso mudar o espírito. Mudar o sentimento para desejar a salvação do próximo. Fazer a salvação significa fazer a retribuição a Deus-Parens. É por isso que Oyassama orientava as pessoas para se dedicarem à salvação. Este é o ensinamento de que salvando os outros estará salvando a si mesmo.
No episódio 100, Deve Salvar os Outros, uma pessoa foi abandonada pelos médicos devido à gravidade da doença, por não ter mais cura. Conta-se:
Sadakiti Konishi da Vila de Kambe, Região de Yamato, era muito esforçado, chegando a trabalhar o dobro dos outros. Por um descuido, foi acometido de tuberculose. Desenganado pelo médico, passava os dias sem nenhuma esperança. Por outro lado, sua esposa Ie, que tivera um parto difícil, estava grávida do segundo filho.
Por volta de março de 1882, Jirobei Morimoto da mesma vila espargiu-lhes a fragrância da fé. Assim, sem se importar com o estado de saúde, o casal regressou a Jiba e, quando Ie recebeu a Permissão do Parto Feliz, Sadakiti perguntou: “Este Deus é apenas o Deus do parto?” e Oyassama respondeu:
Não. É o Deus que salva de todas as doenças.”
Então, ele perguntou novamente: “Na verdade, estou sofrendo de uma doença do peito, posso ser salvo?”
Não se preocupe. Receberá a graça qualquer que seja a doença. Esqueça a ambição.”
Esta resposta cheia de amor ficou gravada profundamente no coração de Sadakiti, que tomou uma firme decisão. Chegando em casa, ajuntou todo o dinheiro e entregou-o à esposa. Isolou-se numa casa separada, escreveu ‘Tenri-Ô-no-Mikoto’ no papel e pregou-o no centro da parede da sala e orou fervorosamente evocando o nome divino: “Namu Tenri-Ô-no-Mikoto, namu Tenri-Ô-no-Mikoto”.
Após um tempo, ficou completamente curado da moléstia que o fez sofrer por longo tempo.
Por outro lado, sua esposa Ie deu à luz um menino, segura e tranquilamente. Imediatamente, ele regressou a Jiba em agradecimento. Ao expressar com gratidão o seu sentimento, Oyassama, mostrando-se muito contente, disse-lhe:
Foram salvos porque conseguiram dedicar-se voltando o espírito inteiramente a Deus.”
Então, Sadakiti disse-lhe: “Não há alegria maior. Como poderei retribuir esta gratidão?”
Deve salvar os outros.”
Foi a resposta. De modo que perguntou-lhe outra vez: “O que deverei fazer para que os outros se salvem?”
Deve contar sinceramente às pessoas sobre a sua cura.”
Explicou ela, concedendo-lhe cerca de 500 gramas de farinha de cevada torrada e continuou:
Isto é oferenda abençoada; por isso, dê-a aos necessitados para tomarem com a água oferendada no altar.”
Recebendo-a, Sadakiti voltou contente para casa e encontrou muitos doentes na vizinhança. Foi salvá-los levando a oferenda abençoada conforme ensinara Oyassama. Um após outro, todos se curaram, aumentando assim os seguidores desta fé.

Este episódio mostra de maneira concreta como fazer para se receber a graça da salvação. E depois, o que fazer para retribuir essa graça. Em primeiro lugar, Oyassama orientou para que ele abandonasse a ambição. Ou seja, limpar a poeira da ambição que estava muito acumulado em seu espírito. Essa foi a condição para ele receber a graça de Deus. Naquele momento, a forma que ele encontrou foi entregar todo o dinheiro a esposa.
 Depois, muito feliz por ter recebido a graça, ele queria fazer algo para retribuir essa gratidão. Ao perguntar como deveria fazer, Oyassama orientou dizendo que era para falar às pessoas, como foi que recebeu a graça. Neste mundo, quando as pessoas ficam doentes, a primeira coisa é o desejo de ficar curado o mais rápido possível. Principalmente, se for uma doença grave ou complicada ou quando os médicos e os remédios já não funcionam mais.
Os doentes fazem de tudo para se verem livres do incômodo físico o quanto antes. Por isso, ficarão interessados em como, ou o que a pessoa fez para ficar curada. Nós que somos yoboku, muitas vezes já falamos como recebemos a graça de Deus-Parens.
Oyassama ensinou diversas formas para se fazer a retribuição a Deus-Parens por tudo que está sendo concedido a nós no dia a dia, como o Serviço Sagrado, a divulgação e a salvação, o hinokishin, a dedicação a Jiba e à igreja e outras coisas. Devemos fazer as coisas que estiver ao nosso alcance.
Vamos imaginar a seguinte situação. Um de nossos filhos está conversando com os seus colegas e fala: ‘o meu pai trabalha bastante, todos os dias, pensando em dar o melhor para nossa família e graças a ele é que estou podendo ir à escola e posso brincar com os amigos’. Ou então: ‘quando fiquei com febre, a minha mãe ficou do meu lado, a noite toda, cuidando de mim, trocando a toalha, dando água e remédio. Por isso, graças à minha mãe é que melhorei bem rápido’.
Creio que qualquer pai ou mãe que ouvir isso dos filhos ficará contente e emocionado ao saber que eles sentem gratidão. Do mesmo modo, se nós falarmos para as pessoas sobre o trabalho e as graças de Deus-Parens e o quanto isso é gratificante, se contarmos sobre Oyassama e o seu amor maternal que deseja a nossa salvação, Deus-Parens e Oyassama, vendo essa atitude dos seus filhos, com certeza ficarão satisfeitos e contentes. Isso é realmente uma grande forma de fazermos a retribuição.
Os nossos antepassados também, ao ouvirem de um missionário da Tenrikyo sobre Deus-Parens e Oyassama é que receberam a graça da salvação e depois, para retribuir a graça recebida, também contaram a história da sua salvação para outras pessoas. É assim que o Caminho veio crescendo até os dias de hoje.
Se não houvesse aquela salvação do nosso antepassado, creio que hoje não estaríamos aqui. Ao refletirmos sobre isso, nós também precisamos fazer a retribuição a Deus-Parens e a Oyassama no nosso cotidiano. É com esse sentimento que gostaria de passar de agora em diante.
Mais uma vez, muito obrigado a todos pela reverência e participação no Tsukinamisai de maio.

Muito obrigado.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Boletim de abril de 2017



Palestra de abril de 2017

Os meus sinceros agradecimentos a todos pela presença e participação no tsukinamisai de abril. Agradeço a todos pela dedicação aos afazeres do kyokai e também nas atividades do Caminho no dia a dia. Muito obrigado.

Neste mês, estamos comemorando os 219 anos do nascimento de Oyassama. Há instantes, ao realizarmos a Cerimônia Mensal de abril, juntamente, comemoramos o seu aniversário. Sem dúvida alguma, para todos nós, é um mês de imensa alegria e tenho a certeza de que Oyassama esteja contente com a dedicação dos presentes e tenha aceitado a sinceridade.
         Como sabem, no dia 18 de abril de 1798, nasceu a Oyassama, Miki Maegawa, na vila de Sanmaidem, distante 4 quilômetros da atual cidade de Tenri, como filha mais velha de Kinu e Massanobu Hanshiti Maegawa.
         Temos na Doutrina do Tenrikyo:
         ‘Baseado no compromisso quando da criação da humanidade, trouxe de volta à residência original, predestinada pela concepção humana, para serem reverenciados pela posterioridade como Deus, quando passarem tantos anos quanto o números de filhos dados à luz na sua primeira geração.’
Temos ainda:
         ‘Deus-Parens, baseado nesse compromisso, e sendo a Oyassama possuidora da alma predestinada da mãe genitora quando da criação da humanidade, atraiu a residência original na chegada do tempo predeterminado tornando-a sacrário de Deus-Parens. Isso ocorreu em 26 de outubro de1838.’
         Conforme este trecho, o significado da alegria pelo nascimento da Oyassama é que ela é possuidora da alma da Izanagi-no-Mikoto da ocasião do início da criação dos seres humanos, e chegada a data predeterminada, dia 26 de outubro de 1838, tornou-se o Sacrário de Tsukihi. Ou seja, ela nasceu 41 anos antes desse acontecimento.
         Neste dia de grande alegria em que comemoramos o aniversário da Oyassama, o Shimbashira fez a seguinte explanação:
         ‘O significado da comemoração do aniversário de Oyassama, comparado com a de outra pessoa penso que existe um pouco de diferença .
         Recordar das virtudes dos antepassados ou rememorar as grandes obras de uma pessoa, dá motivo para realizar a comemoração ou festa de congratulação nos decenários e centenários de nascimento na sociedade. Acredito que não é necessário explicar a diferença do significado dessas comemorações com a de Oyassama. Mesmo que a reverenciemos sem ver a sua imagem, hoje ela continua trabalhando como em vida, este é o motivo para comemorarmos o aniversário da Oyassama. Isso porque ela continua trabalhando na nossa orientação e formação. Portando, devemos refletir novamente onde está o amor parental, para não ficar apenas em recordar-se de suas virtudes ou em seguir o caminho somente por ter sido uma grande pessoa.’
E ainda, disse:
         ‘Ao refletir o porquê ela deixou de existir fisicamente, penso que foi para que seus filhos pudessem praticar os ensinamentos com mais facilidade, ou seja, como uma pessoa desta fé que recebeu o ensinamento, pode praticar sem dificuldades e assim tornar mais fácil a busca da evolução espiritual. Sem dúvida é aí que se encontra o seu grande amor parental.
         Tem explicado de maneira fácil de praticar, assim pôr em prática os ensinamentos, é a caminhada que permite consequentemente obter a maturidade espiritual. Por falar em prática do ensinamento, de que maneira é possível concretiza-la? Logicamente como foi nos ensinado pela Oyassama, é salvando as pessoas, e assim expandir esse ensinamento. Penso que essa é a determinação que devemos fazer.’
         Após o ocultamento físico da Oyassama, foi feita uma consulta no sobrado do depósito interno da casa, e obteve-se a seguinte indicação:
         ‘Eu Deus, por causa do meu amor pelos filhos, saí abrindo o portal e encurtando vinte e cinco anos da vida que o Parens tinha ainda pela frente, começo a salvar a partir de agora. Fiquem observando bem. Fiquem observando bem o que foi até agora e o que será doravante.’
                                                                  (Ossashizu 18/02/1887)
E ainda:
         ‘Estou residindo até aqui. Não tenho ido aonde quer que seja. Não tenho ido aonde quer que seja. Devem refletir vendo o caminho diário.’                                                         (Ossashizu  17/03/1890)
         Assim, ensinou sobre o seu trabalho com as Indicações Divinas. E temos ainda, na Vida de Oyassama:
         ‘Oyassama que abriu o caminho da salvação de todas as pessoas, passando animadamente por todas as dificuldades e sofrimentos, com o sincero amor parental para salvar todos os seus filhos, veio a encurtar a existência física, sacrificando 25 anos da vida determinada, por incentivar a maturação espiritual das pessoas. Porém o espírito do Parens, permanecerá vivo para sempre na residência original e estará protegendo igualmente os seus filhos, seres humanos, para a evolução espiritual. As salvações maravilhosas que surgem diariamente são provas de que ela está trabalhando como em vida.’
No Ofudessaki, tem-se:
         Desejo ensinar a salvação extraordinária de qualquer modo.
         É o trabalho iniciado por isso.  ED. XI-52
         De acordo com esse verso da Escritura Divina (Ofudessaki) Oyassama abriu este Caminho com o propósito da salvação de todos, e praticando o Serviço de Kagura que ensinou a todos nós, vamos receber a maravilhosa e extraordinária salvação. Além disso, o Dom do Sazuke, a Permissão do Parto, o amuleto prova, são as graças concedidas pela Oyassama devido ao seu grande amor parental.
         Durante os 50 anos da vida-modelo, ela passou por inúmeros sacrifícios. Ao cair no fundo da pobreza, passou anos e anos por rigorosos invernos se aquecendo apenas com fogueiras de gravetos e folhas secas, muitas vezes sem óleo para as lamparinas, trabalhando a noite somente com a luz do luar e, no verão, não tinha tela e nem mosquiteiro para se proteger dos pernilongos e outros insetos.
         Porém, de acordo com os seguintes versos do Ofudessaki:
         Não digam nada acerca das coisas atuais, pois será avistado o amplo caminho do porvir. Of. III-36
         Qual seja o caminho atual, não o lamentem. Tenham prazer com o caminho real do porvir. Of. III-37
         Assim, segundo esses versos, mesmo em meio às dificuldades, animou e incentivou os filhos, explicando-lhes sobre os dias de alegrias que estavam por chegar, e ela mesma passou sempre animada e alegre por quaisquer circunstâncias.
Após o seu ocultamento físico, mesmo deixando de existir fisicamente, ela continua a trabalhar tal como no tempo de sua vida física. Continuou a entregar o Sazuke, como a graça da eficácia para a dedicação sincera à salvação, e isso continua até os dias de hoje.
         Mesmo que ela não seja mais visível aos nossos olhos, Oyassama sempre continuará a trabalhar como em vida, e a razão e a graça do seu maravilhoso trabalho continuarão inalterados por toda a eternidade. Ela é realmente a Mãe eterna, a nossa Mãe.
Oyassama reside na residência original, a terra parental da humanidade. Regressando a Jiba, encontraremos com ela e poderemos contar nossas alegrias e tristezas, porque é a nossa Mãe. Ela tem ensinado a vida plena de alegria e mesmo agora, está trabalhando com amor pela salvação de toda a humanidade.
Assim, no dia de hoje em que comemoramos o seu aniversário, refletindo qual seria o melhor presente que poderíamos dar a Oyassama, podemos chegar à conclusão de que o melhor presente é fazer de acordo com a vontade de Oyassama. Fazer de acordo com a vontade de Oyassama significa a nossa determinação de praticarmos o seu ensinamento no dia a dia.
Por isso, para deixarmos Oyassama contente e satisfeita no mês do seu aniversário, vamos renovar a nossa determinação e prometer firmemente de que iremos sempre seguir de acordo com os seus ensinamentos. Com certeza este é o caminho correto para chegarmos a concretização da vida plena de alegria e felicidade.        

         Mudando de assunto, gostaria de deixar o convite para que todos participem do Dia do Hinokishin no próximo dia 1° de maio. A regional de São Paulo, como acontece todos os anos, estará realizando o hinokishin no parque da Independência, no Ipiranga, à partir das 9 horas da manhã.
Semana que vem, no Dendotyo, sábado haverá o Otsutome manabi e o Concurso de Koteki do Shonenkai e a noite o festival Tenri Matsuri.
         Favor levar lençol e fronha.
         Assim, termino as minhas palavras.
         Vamos fazer a reverência e cantar a música de aniversário para Oyassama.

         Muito obrigado.