domingo, 4 de dezembro de 2011

Boletim de dezembro de 2011

Palestra de dezembro de 2011

Os meus sinceros agradecimentos a todos, pela reverência e participação na Cerimônia Mensal de dezembro, o último deste ano.
Hoje, manifestamos o nosso agradecimento pelas numerosas graças que recebemos no decorrer deste ano, seja para o nosso kyokai, como também a todos que reverenciaram no dia de hoje.

Como foi lido na Dedicatória, este ano recebemos a graça de 10 pessoas que fizeram o regresso a Jiba, 6 pessoas receberam o Sazuke e se tornaram yoboku, 5 pessoas participaram do Shuyokai, Seminário de 28 dias, e 13 pessoas participaram do Curso Estudantil. Além disso, graças à sinceridade de todos, este ano também, pudemos superar a meta de 50 mil yen de oferenda para a Sede da Igreja, alcançando a determinação espiritual. Agradeço o empenho e a dedicação de todos durante este ano, muito obrigado.
Revendo as atividades deste ano, o mais significativo foi sem dúvida a comemoração dos 60 anos de fundação do Dendotyo, que aconteceu no dia 12 de junho. Recebendo a honrosa presença do Shimbashira-sama e esposa Harue e com a reverência de mais de 6000 fiéis vindos de todo o Brasil e também do exterior, e recebendo a graça de um excelente tempo, pudemos participar da cerimônia comemorativa. Agradeço sinceramente a todos do kyokai que se esforçaram em convidar as pessoas e assim, pudemos participar com quase 200 pessoas da comemoração. Com certeza, a nossa dedicação foi aceita por Deus-Parens e também pudemos corresponder ao desejo do Primaz.

Estaremos terminando o ano em poucas semanas e chegando o final do ano é bom relembrarmos as coisas que aconteceram sejam elas boas ou não para refletirmos sobre o que Deus-Parens desejou nos orientar ou advertir através dos fatos.
Todos sabemos que Deus-Parens criou o mundo e os seres humanos com a intenção de fazê-los desfrutarem a vida plena de alegria e felicidade. Entretanto, durante a vida do ser humano, muitas vezes acontecem fatos em que se faz a seguinte pergunta: ‘Por que somente eu tenho que sofrer por causa desse problema?’ Ou, ‘Por que isso tem que acontecer comigo ou na minha família? No Ofudessaki, tem-se o verso:
No curso que Tsukihi avista gradualmente, por existir um caminho temeroso e perigoso. ED. VII-7
Tsukihi está preocupado e pensando em informar urgentemente esse caminho. ED-VII-8
A explicação é que como o ser humano vive apenas fazendo reflexões egoísticas, há muitos caminhos perigosos pela frente. Deus-Parens sabendo disso e preocupado, quer avisar logo e ensinar o caminho correto a ser seguido.
Para nós que seguimos esta fé, por mais que ocorram fatos inesperados e nos deixem aflitos e preocupados ou que venhamos a sofrer pelo fato de naquele momento não compreendermos a causa da orientação divina, em primeiro lugar precisamos acreditar que em tudo existe o amor de Deus-Parens. Ou seja, por mais que as orientações pareçam ser severas e duras, são manifestações do amor parental para incentivar a reforma e acelerar a evolução espiritual das pessoas.
Não podemos tentar fugir ou pensar que a causa está em outras pessoas ou nos fatos, mas trabalhar o espírito para mudarmos a maneira de refletir e acumular esforços para poder aproximar um pouco mais da intenção de Deus. Durante esse processo é que se vai sentindo gradativamente o amor parental contido na orientação divina e se chegará ao dia em que estaremos dando um novo passo com muito mais alegria.
Porém, sabemos perfeitamente que a realidade não é tão simples assim, que existe uma grande dificuldade para entendermos o desejo divino e aceitarmos tudo, principalmente os fatos negativos com alegria e sinceridade.
É por esse motivo que durante a caminhada da nossa fé, precisamos cultivar o espírito de nos colocarmos na posição das pessoas que estão sofrendo, ou seja, trabalhar pela salvação. No Ofudessaki, tem-se:
Doravante, se todos do mundo, igualmente, se salvarem mutuamente em todas as coisas, ED. XII-93
Quando passarmos a compreender o sofrimento alheio como sendo o nosso próprio sofrimento é que naturalmente estaremos dedicando a nossa sinceridade em benefício da salvação do próximo. Devemos ter a convicção de que ao dedicarmos a nossa sinceridade para as pessoas que estão sofrendo ou passando dificuldades é que elas conseguirão ultrapassar os obstáculos e posteriormente poderão compreender o amor parental. No verso seguinte, tem-se:
Saibam que Tsukihi aceitará esse espírito e fará toda e qualquer salvação. ED. XII-94
O espírito que é aceito por Deus é a sinceridade que dedicamos no momento em que ajudamos as pessoas quando elas se encontram em dificuldades. Está explicando que essa sinceridade é transformada em merecimento e quando precisarmos receberemos a graça da salvação. É por isso que foi ensinado pela Oyassama que salvando os outros estará salvando a si mesmo. Ajudar o próximo significa receber a graça da própria salvação.
Assim, o momento atual é propício para transmitirmos a importância da ajuda e da salvação mútua, como sendo atitudes que trazem alegria, harmonia e paz para toda a sociedade.
Portanto, ao dedicarmos animados à salvação das pessoas, ajustando o pensamento e a ação aos ensinamentos, nascerá a verdadeira sinceridade que se tornará a fonte do recebimento das graças de Deus-Parens.

Neste último tsukinamisai do ano, gostaria de agradecer a todos pela reverência mensal, pela participação do Serviço Sagrado, e as oferendas feita para a Sede da Igreja, para o Dendotyo e para o Kyokai. Além disso, agradeço aos yoboku que fizeram a ministração do Sazuke aos doentes, e para todos que estiveram sempre atentos em convidar e incentivar as pessoas para fazerem o koshu, o curso estudantil, o shuyokai e o regresso a Jiba. Muito obrigado.




No mês passado, fizemos a reunião sobre a comemoração dos 60 anos de fundação do kyokai que vai ser realizada em maio de 2014. Ficou decidido que faremos a reforma no telhado do shinden, manutenção e pintura, a troca do telhado do salão e pintura em geral. Assim, a partir do mês que vem, janeiro, estaremos recebendo a contribuição mensal de cada família para podermos fazer os melhoramentos. Desse modo, gostaria de contar com a sinceridade dos senhores e unindo as forças e trabalhando animados, poder fazer com que possamos receber a graça de Deus-Parens e o trabalho de Oyassama para atingir as metas estabelecidas.
Para podermos atingir as metas da determinação espiritual do ano que vem, gostaria de contar com o empenho de todos para chamar as pessoas, pois, logo em janeiro teremos o Curso Estudantil, para jovens de 15 a 20 anos de idade, do dia 4 a 8 de janeiro. Dia 3 de janeiro sairá do Tenri Kaikan, ônibus para o Dendotyo as 11 horas.
A inscrição deve ser feita até o Tsukinamisai de dezembro do Dendotyo. Assim, estou com a ficha e quem tiver interesse, gostaria que depois pegasse comigo.
O Shuyokai de 8 de janeiro a 4 de fevereiro.
Um aviso. O Gantansai, Cerimônia de Ano-Novo será no dia 1° (domingo), às 9 horas e no mesmo dia, a Grande Cerimônia de Janeiro, às 11 horas.
Agradeço a todos pela participação e reverência neste último Tsukinamisai deste ano e também agradeço pela sincera dedicação por todo o ano de 2011 ao kyokai.
Desejando boas festas e um excelente início de 2012, termino as minhas palavras. Muito obrigado.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Palestra do tsukinamisai de novembro

Os meus sinceros agradecimentos a todos que vieram reverenciar e participar da Cerimônia Mensal de novembro do Kyokai. Agradeço também a dedicação de todos aos afazeres do Caminho no dia a dia e aos trabalhos do Kyokai.
Como disse no mês passado, no dia 26 de outubro foi celebrado em Jiba, os 174 anos da Revelação Divina e houve a palestra do Shimbashira-sama.
Deste modo, hoje, gostaria de citar os pontos mais importantes da palestra, que servem como orientação para todos nós nesta época oportuna e também, a base para fazermos a nossa reflexão no dia a dia.

A Grande Cerimônia da Revelação Divina teve início às 8 horas da manhã. Esse horário corresponde exatamente ao momento em que o marido Zembee aceitou o pedido de Deus-Parens, concedendo Miki como Sacrário de Tsukihi, no dia 26 de outubro de 1838.
Na leitura da dedicatória, Shimbashira-sama disse que a começar dos condutores de igreja e yoboku, todos estavam determinados em avançar firmemente pelo caminho da dedicação sincera à salvação, praticando o Serviço Sagrado e o Sazuke para poder corresponder à vida-modelo de Oyassama. Além disso, disse que devemos nos aprofundar na reflexão da razão da origem, compreendendo que todas as coisas neste mundo acontecem de acordo com a vontade de Deus e que precisamos transmitir às pessoas sobre a verdade das providências divinas. Devemos ter como meta a concretização do mundo em que as pessoas se ajudem e se salvem mutuamente como irmãos e que haja o esforço e o trabalho para todos desfrutarem a vida de alegria e felicidade.
Após a realização do Serviço de Kagura e da Dança das Mãos, perante quase 80 mil pessoas que regressaram de todas as partes de mundo, Shimbashira-sama inicialmente começou explicando o significado do dia original da Revelação Divina.
Como sabemos, Deus-Parens se revelou ao mundo de acordo com a promessa feita no início da criação dos seres humanos, quando disse aos instrumentos reunidos do mar de lama de que traria os de volta para a residência original passados tantos anos quanto o número de filhos concebidos na primeira concepção para serem reverenciados como deuses. Foi assim, que Oyassama, que possuía a alma de Izanami-no-mikoto se tornou sacrário de Tsukihi e passou a transmitir o ensinamento da salvação de todas as coisas, esclareceu a razão da origem e explicou sobre Deus-Parens e suas providências.
Através de Oyassama ficamos sabendo que o objetivo da criação do mundo e dos seres humanos é a concretização da vida plena de alegria e felicidade. Para isso, ele explicou sobre a importância da conduta do yoboku no dia a dia e citou as três condições da fé que são: o espírito de devoção única a Deus, a atitude de hinokishin e a harmonia da união de espíritos. Estas três condições são fundamentais para nós que seguimos o ensinamento de Oyassama no dia a dia e é preciso que esteja sempre presente em nossa mente e que seja praticado constantemente.
Explicando rapidamente, estas três condições da fé constam no livro Manual do Yoboku que todos ganhamos quando recebemos o Dom do Sazuke e depois ouvimos as preleções. Foram citadas pelo Segundo Shimbashira, Shozen Nakayama, em sua palestra na Assembleia Geral do Yonomotokai de outubro de 1966. Ele disse o seguinte: ‘Desde o encerramento dos 70 anos do Ocultamento Físico de Oyassama temos como nossa determinação espiritual diária os três preceitos da fé: a devoção única a Deus, a harmonia da união de espírito e a atitude de hinokishin esquecendo a ambição. Desejo que trabalhem como instrumentos de Oyassama mantendo firmemente no espírito, esses três preceitos.’ Estas foram as suas palavras.
Em seguida, Shimbashira-sama falou sobre a grande catástrofe que aconteceu em março passado na região nordeste do Japão e disse: ‘Estamos bem no meio dos anos entre a celebração dos 120 e 130 anos do Ocultamento de Oyassama. Deste modo, é preciso que todos nós façamos uma profunda reflexão sobre a situação atual do Caminho que tem como objetivo a concretização da vida plena de alegria através da execução do Serviço Sagrado. Assim, devemos corrigir as nossas atitudes para estar de acordo com o ensinamento e ter como exemplo a vida-modelo para poder corresponder ao desejo de Deus-Parens. Para isso será muito importante a nossa determinação neste momento.’
Essas palavras significam que o momento atual é muito importante para cada um de nós fazermos a reflexão se estamos realmente praticando os ensinamentos no dia a dia, seguindo a vida-modelo de Oyassama e se estamos trabalhando em união e harmonia espiritual pela salvação das pessoas, e se não estamos esquecendo a atitude de hinokishin.
No dia 25, houve o encontro dos condutores e esposas das igrejas das regiões atingidas pela grande catástrofe de março, com a participação de mais de 250 pessoas. Para os presentes que sofreram o terremoto e o tsunami, Shimbashira-sama primeiramente manifestou a sua solidariedade e o reconhecimento pelos esforços dedicados na reconstrução do desastre, e disse: ‘No Ofudessaki, sobre os terremotos e tsunami tem-se que os desastres naturais são a manifestação do pesar e da ira de Deus. Assim, como seguidores do ensinamento, é importante a postura de refletir esse fato como sendo uma severa orientação de Deus-Parens. Independente se sofreram ou não com a catástrofe, todos nós devemos refletir como se fosse um aviso direto de Deus e fazer uma profunda reflexão para corrigir as nossas falhas e acertar as atitudes e pensamentos para estar de acordo com os ensinamentos. O momento atual é propício para fortalecer a união espiritual e demonstrar na prática o ensinamento da ajuda e salvação mútua e de que todos são irmãos entre si. A reconstrução material se realiza com o passar do tempo, mas a dor e a ferida no coração das pessoas que perderam familiares, parentes e os bens são muito mais profundos e a sua recuperação é mais demorada. Assim, o trabalho do yoboku vai ser importante para levar o amparo e a força espiritual.

Antes de encerrar, no dia 30 deste mês, aconteceu o Undokai com a presença de quase 600 pessoas e agradeço a todos que vieram no hinokishin no dia 12 e também para os que vieram juntamente com a família no dia 30.
Agradecendo mais uma vez a participação na Cerimônia mensal de novembro, termino as minhas palavras.
Muito obrigado.

domingo, 2 de outubro de 2011

Boletim de outubro de 2011

Palestra do Taisai de outubro

Os meus sinceros agradecimentos a todos que vieram reverenciar e participar da Grande Cerimônia de outubro do Kyokai. Agradeço também a dedicação de todos aos afazeres do Caminho no dia a dia e aos trabalhos do Kyokai.
Como foi lido na Dedicatória, no dia 26 deste mês, será celebrado em Jiba, os 174 anos da Revelação Divina e hoje, recebendo essa razão, realizamos a Grande Cerimônia de outubro.
Deste modo, gostaria de relembrar os fatos ocorridos naquela época para assimilarmos a intenção de Deus-Parens, contida na revelação divina.

Como os senhores já sabem, esta Grande Cerimônia é realizada todos os anos, celebrando a determinação de Oyassama como sacrário de Tsukihi, quando Deus-Parens se revelou pela primeira vez ao mundo no dia 26 de outubro de 1838.
Nessa oportunidade, após relembrar de maneira resumida sobre a Revelação Divina, através do livro Minuta da Vida de Oyassama, gostaria de refletir sobre a atitude que nós devemos tomar.
Antes da Revelação Divina, os Nakayama eram agricultores.
Em 26 de outubro de 1837, exatamente um ano antes, Oyassama fazia os trabalhos agrícolas de plantio de trigo, quando repentinamente começou a doer a perna de seu filho primogênito Shuji. Os pais usaram de todos os artifícios, e ao melhorar por algum tempo, novamente vinha a sofrer, repetindo a dor por nove vezes num período de um ano.
Em 23 de outubro de 1838, além da dor na perna de Shuji, o marido Zembee sentiu dor nos olhos, e Oyassama nas cadeiras, os três juntos passaram a sofrer ao mesmo tempo. Assim, como das vezes anteriores, solicitaram ao asceta Itibee para que realizasse a prece evocatória às divindades, mas infelizmente nesse dia, a pessoa que atuava como receptora estava ausente, dessa maneira colocou Oyassama no lugar e realizou a oração. De repente, durante a oração, a sua aparência se alterou, e com uma voz vibrante disse:
“Eu sou o Deus original, o Deus verdadeiro. Nesta casa há uma predestinação. Desta vez, revelei-me neste mundo para salvar toda a humanidade. Desejo ter Miki como meu Sacrário.”

Estas foram as primeiras palavras que foram proferidas pela Oyassama, mas nestas poucas palavras há quatro pontos realmente fundamentais da Tenrikyo.
Primeiramente, introduzindo-se na Oyassama, proferiu, “Eu sou o Deus original, o Deus verdadeiro”, é o Deus criador dos seres humanos deste mundo, que criou este universo que inexistia e concedeu a vida a todos seres vivos e é o Deus verdadeiro que está vivificando e protegendo, ou seja, é o Deus-Parens, Tenri-Ô-no-Mikoto.
Em seguida, “Nesta casa há uma predestinação.” A residência dos Nakayama é a residência predestinada na ocasião da criação dos seres humanos do mundo, e no seu interior, fica o local onde Izanami-no-mikoto concebeu os seres humanos no seu ventre, isto é, a Jiba.
E, “Desta vez, revelei-me neste mundo para salvar toda a humanidade.” Deus-Parens criou os seres humanos com o objetivo de vê-los salvarem mutuamente e levarem a vida plena de alegria e felicidade e Deus teria o prazer de compartilhar junto. Deseja transmitir esta vontade de Deus e salvar todas as pessoas do mundo. Ou seja, a vida plena de alegria é o objetivo da vida dos homens.
Por fim, disse: “Desejo ter Miki como meu Sacrário.” Deus-Parens precisava transmitir o objetivo da criação dos seres humanos através de alguma pessoa, assim, introduziu-se e tomou como seu Sacrário Miki Nakayama por ser a possuidora da alma de Izanami-no-mikoto que cumpriu o papel de mãe na ocasião da criação dos seres humanos.
Nestas primeiras palavras da revelação divina estão contidos os quatro pontos fundamentais da fé da Tenrikyo: Deus-Parens, Oyassama, Jiba e a salvação de todos, ou seja, a vida plena de alegria e felicidade.
Porém, o marido Zembee como os familiares não responderam facilmente que concederiam Miki como Sacrário de Deus. A razão disso era que a filha caçula nem tinha um ano de idade, por isso recusaram dizendo que os filhos ainda eram pequenos. Também, como tinha os cargos na vila, era uma família atarefada e alegaram que não podiam aceitar.
Assim, através de vários argumentos, recusaram repetidamente, mas Deus-Parens não cedeu nem um passo sequer.
Durante três dias continuou a discussão entre Deus-Parens e as pessoas da família Nakayama. Se prosseguisse poderia custar a vida de Miki, assim, o marido respondeu que concordava em obedecer-lhe desalojando de sua mente toda a cogitação humana e renunciando a todas as conveniências da própria família.
Era justamente oito horas da manhã do dia 26 de outubro de 1838. Assim, teve início a Tenrikyo.

Certo tempo depois, Oyassama ensinou que na ocasião em que Deus-Parens criou o mundo e os seres humanos, reunindo os instrumentos, prometeu que quando chegasse o tempo pré-determinado eles seriam reverenciados como deuses, e às 8 horas da manhã do dia 26 de outubro significava a chegada dessa data prometida.
Deus-Parens determinou Oyassama como seu Sacrário porque era a pessoa que possuía a alma de Izanagui-no-mikoto ou o protótipo da mulher no momento da criação dos seres humanos. Ela desempenhou a função de mãe na criação original.
E Deus-Parens revelou-se na região de Yamato, distrito de Yamabe, vila de Shoyashiki na residência dos Nakayama, por ser o local da criação da humanidade.
Nós chamamos a isto de “predestinação da alma de Oyassama”, “predestinação da residência” e “razão do tempo predeterminado”, e nesta Grande Cerimônia esse conjunto das três grandes predestinações da revelação divina nos faz relembrar a sequência de acontecimentos ocorridos antes e depois do dia 26 de outubro de 1838. Existe um significado muito grande no fato de refletirmos profundamente sobre a verdade da vontade de Deus-Parens revelar-se nesse mundo.
Oyassama que foi determinada como Sacrário de Deus-Parens, a partir desse dia, a sua aparência humana não mudou, mas o seu espírito e as atitudes tomadas eram a demonstração do próprio espírito de Deus-Parens.
Uma simples dona de casa de uma família de agricultores de Yamato, aquela figura respeitada por todos os moradores não era mais a mesma. A partir daí, Oyassama foi ridicularizada e zombada pelas pessoas, pois começou a explicar os fatos da origem que ninguém conhecia até então.
Porém, as pessoas, ouvindo as palavras de Oyassama, até começarem a acreditar levou-se muito tempo. Oyassama, para que as pessoas compreendessem a verdade fez um grande sacrifício. Mas graças a isso, nós pudemos conhecer a verdade de todas as coisas.
Deste modo, foi nos ensinado as posições de Oyassama: como “Sacrário de Deus-Parens”, ensinou em detalhes a vontade de Deus-Parens; como “Parens da Vida Modelo” demonstrou o exemplo de conduta que Deus-Parens deseja que nós vivamos, e ainda, mesmo após ocultar-se fisicamente, sem nenhuma alteração por todas as gerações, continua não só concedendo a graça como em vida, mas também trabalhando sem parar para a realização do mundo pleno de alegria e felicidade e pela dedicação sincera à salvação.
As inúmeras expressões do amor parental aprendido por nós através de Oyassama fundamentam-se no fato de que os seres humanos foram criados com o objetivo de Deus ter o prazer de ver viverem plenos de alegria, e participar juntamente dessa alegria. Assim, para que os seres humanos pudessem viver nesse mundo da melhor maneira possível e sem nenhuma dificuldade, Deus-Parens criou a estrutura do corpo humano, e passou a conceder a graça através das 10 providências que mantem a nossa saúde.
E além de criar todas as coisas do mundo, concede a graça de tudo o que é necessário para o homem viver. O trabalho de Deus-Parens continuará para todo o sempre, e nos concederá tudo o que for necessário para a nossa sobrevivência.
Toda a caminhada de Oyassama é a expressão do espírito dedicado à salvação. Como processo deste caminho da salvação, ensinou o Serviço do Kagura, entregou o Dom de Sazuke para salvar o próximo e explicou a começar da história da criação original dos seres humanos, a intenção de Deus-Parens e muitas outras coisas. Esses fatos são a expressão do amor parental de Deus de orientar os seres humanos para a vida plena de alegria e da vontade de Deus de encaminhar a todos para que não errem no uso cotidiano do espírito.
Deste modo, neste mês em que comemoramos os 174 anos da Revelação divina, devemos reafirmar a nossa determinação de continuarmos praticando diariamente o ensinamento de Oyassama para correspondermos ao desejo de Deus-Parens.

Antes de encerrar, a todos os yoboku do kyokai, no sábado seguinte, dia 8 de outubro, no Dendotyo, como acontece todos os anos, haverá a Assembléia Geral do Yonomoto-kai à partir das 13 horas. Será realizado o Otsutome Manabi pelas regionais e depois haverá relato de experiência.
Assim, para prestigiar o Yonomoto-kai espero contar com a presença de um maior número de pessoas do nosso kyokai.
As regionais estão com ônibus do dantai e quem vai de carro deve avisar o Dendotyo, para reservar o quarto do alojamento e não esquecer de levar lençol.
No dia 30 deste mês, haverá o Undokai no campo do kyokai.
Agradecendo mais uma vez a participação na Grande Cerimônia de outubro, termino as minhas palavras.
Muito obrigado.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Boletim de setembro de 2011

Palestra do tsukinamisai de setembro

Os meus sinceros agradecimentos a todos que vieram reverenciar e participar da Cerimônia Mensal de setembro do Kyokai. Agradeço também a dedicação de todos aos afazeres do Caminho no dia a dia e aos trabalhos do Kyokai.
No mês passado, 5 pessoas fizeram o regresso a Jiba, o Zenkaityo, a esposa, a minha tia Massumi, a esposa do Massani, Neucimara e a filha Tomie. A Mara regressou para receber o dom do Sazuke.
Além disso, este mês mais três pessoas estarão regressando a Jiba que são Shigueru Kawaguti e as filhas Carla e Cléa. As duas também estarão regressando para receber o Sazuke. Assim, em dois meses, recebemos a graça de mais três novos yoboku.
É algo bastante gratificante para todos do Kyokai.

Nas palestras do Shimbashira-sama, ultimamente ele tem falado da importância de sempre termos por perto os livros de Oyassama, principalmente a da sua vida-modelo e dos episódios.
Assim, hoje gostaria de citar algumas passagens de sua vida que naturalmente são exemplos para fazermos a reflexão da nossa conduta no dia a dia.

Em primeiro lugar, gostaria de citar um trecho da Preleção do Besseki, que diz: “Originalmente, este mundo foi um mar de lama. Tsukihi, isto é, Deus-Parens, julgando insípida essa condição e deliberando, teve a ideia de criar os seres humanos e compartilhar da sua alegria, vendo-os viveram felizes.”
Deste modo, através de Oyassama é que ficamos sabendo pela primeira vez sobre o desejo de Deus-Parens contido na criação dos seres humanos. Por isso, mostrar para Deus-Parens a prática dessa vida de alegria é o objetivo de todo o ser humano.
Sabemos que Oyassama demonstrou pessoalmente durante longos 50 anos o modo de viver a vida plena de alegria que corresponde ao desejo de Deus e deixou este exemplo para todos nós poderermos passar tranquilamente pelo caminho da vida-modelo.
Através dos registros contidos nos livros Vida de Oyassama e Episódios da Vida de Oyassama, podemos compreender como os mestres veteranos foram orientados pela Oyassama para praticarem essa vida de alegria e como ficaram emocionados ao passarem por este Caminho. Mesmo com a passagem dos anos, ainda hoje, com o espírito de que estamos sendo encaminhados por Oyassama eternamente viva devemos estudar os passos deixados pelos mestres veteranos, e nos esforçar cada vez mais na evolução espiritual, seguindo animados pelos exemplos deixados por eles.
Em 1864, aconteceu a primeira construção da história do Tenrikyo que foi a obra do Local do Serviço. Após a comemoração da colocação da viga da cumeeira, ocorreu o inesperado incidente do Santuário de Oyamato, onde alguns mestres da época, cantaram e dançaram em frente ao Santuário e isso irritou e enfureceu os sacerdotes e todos foram presos por vários dias. Esse acontecimento deixou alguns fiéis preocupados e inseguros e acabaram abandonando a fé.
Deste modo, a formação da irmandade e a construção parou temporariamente. Foi quando Kokan murmurou: “Não deviam ter ido.” Neste momento, a aparência de Oyassama ficou severa e ela disse:
“Não deve dizer qualquer palavra de insatisfação, pois será a base da explanação para o futuro.”
Apesar de ter sido um pequeno comentário, o fato de ser uma insatisfação fez com que Oyassama imediatamente chamasse a atenção, pois essa atitude se distanciava da intenção de Deus-Parens de realizar a vida plena de alegria e felicidade. Esse pequeno exemplo ensina que na nossa vida diário devemos tomar cuidado para não ficarmos nos queixando ou falando insatisfações.
Em maio de 1868 choveu torrencialmente por vários dias fazendo com que os rios transbordassem e as lavouras e as casas fossem levadas pelas correntezas. A propriedade de Tyushiti Yamanaka sofreu também enormes danos como o deslizamento do morro e soterramento de grandes árvores. Aproximadamente um hectare do arrozal irrigado ficou coberto de terra e lama. A vizinhança que zombava da fé de Tyushiti não perdeu a oportunidade para ridicularizá-lo: “Veja aquilo, é um tolo!” Ouvindo isso, Tyushiti ficou magoado e regressou imediatamente à Residência e consultou Oyassama que disse:
“Excelente, excelente! Será posteriormente excelente, porque foram levados e alcançaram a profundeza do mar. Talvez pense por que o campo e o monte foram arrastados pela correnteza apesar de crer nesta fé, mas fique sinceramente satisfeito, sinceramente satisfeito. O futuro será excelente.”
Tyushiti agradeceu de todo coração a Deus-Parens por sofrer apenas um pequeno infortúnio em vez de uma grande desgraça.
Por mais que passemos crendo nesta fé, praticando sinceramente os ensinamentos, quando ocorre uma desgraça ou uma grave enfermidade o nosso espírito fica abalado e acabamos pensando: “porque isso acontece comigo se venho crendo nesta fé?”
Não conseguimos refletir sobre o amor de Deus-Parens e por isso ficamos desanimados e preocupados com a situação. Isso é um fato que ocorre frequentemente. Entretanto, nesses momentos devemos nos lembrar do ensinamento de Oyassama que diz: “Tenha sincera satisfação, tenha sincera satisfação.” Esse ensinamento da devoção única a Deus é que nos encaminha para podermos receber uma excelente graça. Essa transformação espiritual é o ponto de partida.
Foi ensinado que “a satisfação sincera é o arrependimento da predestinação das vidas anteriores”.
A alma do ser humano veio renascendo várias vezes repetindo o ciclo de nascimento e retornamento e de acordo com a intenção de Deus-Parens veio novamente ao mundo nesta geração, porém ninguém se lembra dos fatos das vidas passadas.
Quem sabe é apenas Deus-Parens. Somente Deus-Parens é que tem conhecimento sobre o que cada ser humano fez nas vidas passadas, tanto as coisas boas como também as coisas más que foram sendo acumuladas no decorrer das várias existências. Devido ao seu imenso amor, nos proporciona diversas alegrias de acordo com as boas predestinações que foram acumuladas e em relação as más predestinações, transforma as grandes desgraças em pequenos problemas que se manifestam no dia a dia.
Assim, não podemos nos desanimar com os acontecimentos inesperados, mas fazer a reflexão e passar estabelecendo a satisfação sincera sabendo que é o caminho do arrependimento das más predestinações. Esta postura espiritual foi ensinada pela Oyassama para nós que fomos atraídos a este Caminho e somos orientados por ela.
Nós precisamos cultivar e sentir cada vez mais o quanto é gratificante e inestimável o fato de passarmos com o sentimento de satisfação sincera. Desse modo, devemos passar animados pelo caminho da extinção das poeiras e das más predestinações que foram acumuladas nas vidas anteriores e dedicar a sinceridade para retribuir as graças recebidas por Deus-Parens.
Em março de 1884, Oyassama passou por um sacrifício no Presídio de Nara e nessa ocasião, Tyussaburo Koda também foi detido por 10 dias. Nesse período, o carcereiro ordenou a Koda que limpasse a privada. Terminada a limpeza, voltou junto a Oyassama, que lhe perguntou:
“Koda, como se sentiu ao ser trazido a um lugar como este e obrigado a limpar uma privada suja?”
“Que me obriguem a fazer o que for, se pensar que estou servindo a Deus é realmente excelente”, respondeu Koda. Então, Oyassama explicou:
“Isso mesmo. Quão penoso e desagradável seja o trabalho, se fizer julgando-o excelente, esta razão alcançará o céu. A razão aceita por Deus será transformada excelentemente em virtude. No entanto, mesmo que faça trabalhos difíceis e cansativos, se fizer queixando-se: ‘ah! que penoso!’, ‘ah! que desagradável!’, a razão da insatisfação alcançará o céu.”
Estas palavras são muito importantes para todos nós que fomos atraídos para este Caminho e estamos fazendo os trabalhos religiosos. É um ensinamento para ser firmemente estabelecido no espírito e qualquer que seja o trabalho solicitado, devemos fazê-lo com ânimo e dedicação, sentindo ser realmente excelente.
Atualmente existem muitas famílias que foram atraídas a este Caminho e já acumulam várias gerações, passando da terceira para a quarta e da quarta para a quinta geração.
Assim, não se pode ficar acomodado sobre as virtudes que foram acumuladas pelos antepassados que se dedicaram ao caminho da sincera salvação. Por isso, fazendo diariamente a reflexão e estudando as passagens dos antigos mestres contidos nos livros para que sirva de exemplo e norma do nosso espírito, como yoboku, devemos praticar fielmente os ensinamentos.
Buscando cada vez mais a evolução espiritual, precisamos caminhar animados rumo a vida plena de alegria e felicidade e seguir firmes para tranquilizar Deus-Parens e Oyassama.

A partir desse ano, seguindo a orientação do Dendotyo, o Mitamassai que era realizado todos os anos em novembro, será realizado este mês, no dia 25. Assim, gostaria de contar com a participação de todos.

Agradecendo mais uma vez a participação na cerimônia mensal de setembro do kyokai, termino as minhas palavras.
Muito obrigado.

domingo, 7 de agosto de 2011

Boletim de agosto de 2011

Palestra de agosto de 2011

Os meus sinceros agradecimentos a todos que vieram reverenciar e participar da Cerimônia Mensal de agosto do Kyokai. Agradeço também a dedicação de todos aos afazeres do Caminho no dia a dia e aos trabalhos do Kyokai.
No mês passado, duas pessoas fizeram o regresso a Jiba para participarem do Seminário de Oyasato e também receberam o dom do Sazuke. Uma é a minha filha Hiroe e a outra é a Lury Tomiyoshi. Assim, recebemos a graça de mais dois novos yoboku.
Como foi lido na Dedicatória, este mês está fazendo 31 anos desde que este shinden foi inaugurado, graças a dedicação de muitas pessoas que hoje não estão mais presentes. Porém, mensalmente, estamos podendo realizar alegre e animadamente o Serviço Sagrado da salvação ensinado pela Oyassama.
Assim, hoje gostaria de falar sobre a primeira construção da história do Caminho que aconteceu em 1864, 27 anos após a Revelação Divina, quando Oyassama estava com 67 anos.

Estudando a vida-modelo de Oyassama, 27 anos após a revelação, a situação da família ainda era de muita pobreza. Depois que a mansão, a casa principal foi vendida em 1853, Oyassama e os filhos Shuji e Kokan tinham ido viver num velho depósito que ficava no fundo do terreno.
Desde então, tinha se passado 10 anos na pobreza, quando nenhuma pessoa vinha procurar Oyassama por vários dias e, por muitas vezes, não tinham o que comer. Shuji começou a vender lenhas e verduras para o sustento diário e Oyassama e Kokan faziam pequenos trabalhos de costura.
Somente nos anos de 1862 e 1863 é que Oyassama começou a entregar o Obiya Yurushi, a permissão do parto feliz, que foi o começo das maravilhosas salvações. Ou seja, apenas 2 anos antes da construção do Local do Serviço.
Assim, pouco a pouco, as pessoas que foram salvas, começara a se reunir em torno de Oyassama. Muitas pessoas, ao conhecerem e ouvirem a sua voz, ficavam emocionadas e contentes e sentiam que o coração tinha ficado mais leve e limpo.
A maioria delas era de camponeses e lavradores, pessoas humildes das redondezas. Como retribuição da graça da salvação, traziam verduras, arroz, cereais, ovos como agradecimento e, muitas vezes, terminava dessa maneira.
Entre essas pessoas, apareceu uma diferente. A sua profissão era carpinteiro. A sua esposa tinha sido salva de complicações pós parto e como outras pessoas, através de Oyassama, puderam sentir o extraordinário trabalho de Deus-Parens.
Essa pessoa era Izo Iburi que posteriormente veio a se tornar o Honseki. Como as demais pessoas que tinham sido salvas, conversando com a esposa, decidiu fazer algo como agradecimento. Apesar de serem humildes, Izo, sendo carpinteiro, como agradecimento desejou oferendar a construção de um sacrário e pediu para o intermediário fazer esse comunicado a Oyassama que respondeu:
“Não necessito de sacrário, mas comecem uma obra mesmo pequena.” Continuando disse: “Construam-na quadrada de um tsubo (um pouco mais de 3 metros quadrados). Esta construção não é para habitação humana.”
O que será que Izo pensou ao ouvir essa resposta. Com certeza, não pode entender claramente o seu significado. Por isso, através de Shuji, foi consultado o desejo de Oyassama e depois de deliberações com os mestres é que ficou decidido iniciar uma obra de 6,5 por 11 metros. Essa foi a primeira construção da história desse Caminho.
É a construção do Local do Serviço, o primeiro shinden. As pessoas veteranas que se reuniam ao redor de Oyassama e já seguiam o seu ensinamento, se encarregaram da madeira, das telhas, dos tatames e muitos ajudaram financeiramente.
Izo, sendo carpinteiro, se encarregou da mão de obra. Deste modo, o agradecimento da salvação da esposa que foi o oferecimento de um sacrário se tornou na construção do Local do Serviço.
Como Izo ficou com a mão de obra, com certeza frequentou diariamente a Residência encontrando-se com Oyassama e fez o seu trabalho de carpinteiro.
Em outras palavras, diariamente ia da sua casa em Itinomoto até a residência de Oyassama para se dedicar ao hinokishin. Foi desse modo que o caminho da evolução espiritual de Izo começou.
Oyassama, através de Izo, mostrou claramente para todos nós, o modelo a ser seguido para se fazer a evolução espiritual.
Izo, que tinha um caráter sério e honesto, diariamente frequentou a Residência, se esforçando em seu trabalho e muitas vezes Oyassama teve a oportunidade de ouvir diretamente dela os ensinamentos, podendo entrar em contato direto com o seu imenso amor.
Com o andamento da obra do Local do Serviço, compreendeu pouco a pouco a importância de cultivar a fé deste Caminho e, determinou firmemente que seguiria Oyassama em qualquer circunstância. Foi a época em que construiu a sólida base de sua fé.
Izo manifestou a sua alegria e a sua gratidão na forma do hinokishin, frequentando dia a dia a Residência e assim, deu prosseguimento na evolução espiritual. Demonstrando formalmente o seu coração, ele foi se aprofundando cada vez mais no caminho do seu crescimento espiritual.

Este mês, estamos comemorando 31 anos da inauguração deste shinden. Sabemos que durante vários anos, muitas pessoas, de várias formas, dedicaram ao hinokishin da construção, seja financeiramente ou através da mão de obra. Os mais velhos se lembram de como foi esta obra. Muitas pessoas que se dedicaram já retornaram. Porém, podemos ter a certeza de que todos que se dedicaram puderam fazer o crescimento espiritual, e Oyassama aceitou a sinceridade que se tornou em méritos e virtudes.
Por mais que sinta alegria e gratidão dizendo ser graça de Deus, falando que tudo se deve à providência divina e que é gratificante, somente falando ou sentindo, se isso não for mostrado formalmente, esse sentimento irá desaparecendo com o passar do tempo.
Demonstrando formalmente e fazendo isso constantemente é que acontece o crescimento espiritual. É lógico que o caminho da evolução não é somente demonstrar através de uma construção.
Quando era perguntado a Oyassama como deveria ser feita a retribuição da graça da salvação, ela sempre respondia: ‘Salve as outras pessoas.’ Ou: ‘Deve contar sinceramente às pessoas sobre a sua cura.’ ‘Salvando os outros é que salva a ti mesmo.’ ‘Se está feliz por ter sido salvo, a melhor maneira de retribuir é salvar com essa alegria aqueles que desejam ser salvos, por isso, se dedique firmemente na salvação.’
Desse modo, percebemos que Oyassama sempre dizia para fazer a salvação. Existe também a frequência diária à igreja, fazer o regresso a Jiba, fazer o Serviço Sagrado e a Dança das Mãos ou ministrar o Sazuke. Tudo isso são maneiras de demonstrar formalmente a alegria a Oyassama pela graça recebida por Deus-Parens.
Mesmo conhecendo o ensinamento, se não houver a prática, dificilmente o ser humano consegue fazer a evolução espiritual. Existe o ensinamento da determinação espiritual. Ou seja, determinando de modo formal a prática do ensinamento é que assumimos um compromisso com Deus e a sua prática é que conduzirá para o crescimento espiritual.
Todos nós, mensalmente nos reunimos aqui no kyokai porque temos uma determinação, um compromisso de reverenciar e participar do Serviço Sagrado. Essa determinação vem do sentimento de que o Serviço Sagrado ensinado pela Oyassama é o caminho para a salvação.
Desde a época de Oyassama, passando pelas gerações dos nossos antepassados, chegando até os dias de hoje, todos vieram seguindo esse ensinamento, porque muitas vezes receberam a graça da salvação em algum momento da vida. E essa salvação veio através da prática sincera daquilo que foi ensinado pela Oyassama.
Há mais de 30 anos, com a determinação de construir um local mais amplo onde todos pudessem se reunir e fazer o Serviço Sagrado é que foi iniciada essa obra. E, graças à dedicação de todos é que pudemos chegar até os dias de hoje.

Antes de finalizar, gostaria de agradecer a presença do professor e dos 5 alunos do colégio Kyoko Gakuen que chegaram ao Brasil ontem e ficarão algumas semanas para estudar a língua portuguesa.
Agradecendo mais uma vez a participação na cerimônia mensal de agosto do kyokai, termino as minhas palavras.
Muito obrigado.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Boletim de julho de 2011

Palestra de julho

Os meus sinceros agradecimentos a todos que vieram reverenciar e participar da Cerimônia Mensal de julho do Kyokai.
Agradeço sinceramente também pela participação na comemoração dos 60 anos de fundação do Dendotyo, que aconteceu no dia 12 de junho passado. Na comemoração estiveram presentes 6150 fiéis de todas as partes do Brasil e, graças ao trabalho e o empenho de convidar as pessoas, do nosso Kyokai tivemos a participação de 196 pessoas.
Muito obrigado a todos que não só participaram da comemoração como também pela dedicação nas atividades dos três anos, mil dias que foi encerrada junto com os 60 anos e também, pela sincera contribuição para as obras do Dendotyo.
Shimbashira-sama, a esposa Harue sama e comitiva chegaram ao Brasil, na sexta-feira, dia 10 e foram para o Dendotyo. No sábado, na parte da tarde, aconteceu a Assembleia Geral da Associação dos Moços e Feminina, com a presença de quase mil associados.
Na assembleia, todos puderam ouvir a mensagem do Shimbashira-sama que é o presidente mundial do Seinenkai e da Harue sama que é a presidente mundial do Fujinkai.
Shimbashira-sama começou falando sobre a missão do desbravador, arakitoryo, dizendo: “A missão do arakitoryo, voltada ao exterior, é divulgar e difundir este Caminho para o mundo com o espírito de desbravador que abre as novas fronteiras em terras desconhecidas. Em outro aspecto, a missão voltada ao interior, é acumular esforços diários para poder assimilar a própria fé, aprender e praticar a doutrina, como uma pessoa que procura desenvolver pessoalmente o seu espírito.”
Falou também sobre o papel do jovem dentro da igreja. Ele disse: “Mesmo nas igrejas as quais os senhores estão ligados, valorizando as qualidades da juventude, com ânimo e energia, gostaria que se esforçassem em tomar a iniciativa nas atividades de divulgação e hinokishin. À medida que os jovens realizam ativamente as atividades da igreja, o ambiente da mesma se torna alegre e animado, e acredito que isso é de grande importância para construir o futuro de uma igreja.”
Ao final, explicou sobre a postura da fé, sobre como devemos passar o dia a dia: “Mesmo seguindo este Caminho, penso que há momentos em que ficamos preocupados, desanimados e com sentimento de insegurança. Porém, em qualquer situação, se passarmos este Caminho convictos e amparados em Deus-Parens e Oyassama, com certeza poderemos desfrutar a vida plena de alegria e felicidade, e ainda, animando as pessoas a nossa volta, estaremos evoluindo espiritualmente como yoboku úteis à salvação do mundo.”
A presidente mundial do Fujinkai, Harue sama, em primeiro lugar agradeceu a dedicação das senhoras na ocasião da comemoração do Centenário da Associação, que aconteceu em abril do ano passado e disse que: “Apesar de terminada a comemoração do centenário, não podemos ficar acomodadas. Fazendo de base os 100 anos, precisamos continuar cada vez mais animadas, trabalhando com força e empenho, pois ainda temos a grande meta da construção do mundo de vida plena de alegria e felicidade.”
Ela falou sobre a prática diária das metas de evolução espiritual que são: Sejamos a base da vida plena de alegria seguindo a vida-modelo. E como plano de ação tem-se: Tendo no espírito a intenção original, vamos nos tornar verdadeiros yoboku. E sobre o papel do yoboku, ela disse: “Para se tornar um verdadeiro yoboku é necessário cultivar o espírito, o sentimento de desejar a salvação das pessoas e buscar a prática da salvação no dia a dia. O yoboku é a pessoa que recebeu a permissão de ministrar o Sazuke, por isso, é preciso fazer a ministração em todas as ocasiões em que estiver perante alguém que está sofrendo. Além disso, não esquecer de se aprofundar nos ensinamentos, visando o crescimento espiritual.”
Continuando, ela falou sobre a importância de praticar a vida-modelo, como foi ensinada pela Oyassama: “Com o sentimento de gratidão, devemos usar e cuidar das coisas que estão ao nosso redor, não desperdiçando, devemos esforçar em viver se ajudando e se salvando mutuamente em harmonia e pensando no bem estar do próximo. Tudo isso foi ensinado pela Oyassama e o nosso esforço está em colocar em prática no nosso cotidiano.”
Ao final, explicou que o imenso amor de Deus-Parens é fazer com que possamos desfrutar a vida plena de alegria e felicidade e pediu o trabalho das associadas em seguir de acordo com as metas da associação.
Na mesma noite, aconteceu a festa promovida pelas duas associações, quando várias barracas de comidas e lembranças foram preparadas no salão e no estacionamento do Dendotyo. Na festa, quase duas mil pessoas estiveram no Dendotyo.

No dia seguinte, dia 12, desde a madrugada, começaram a chegar os ônibus das caravanas, vindos principalmente de São Paulo e Paraná. Para os fiéis que aguardavam o começo da cerimônia, foi preparado um vídeo mostrando a história dos 60 anos do Dendotyo.
Às 9 horas, teve início a cerimônia, com a reverência aos altares e leitura da dedicatória feita pelo Primaz. Em seguida, houve a reverência do Shimbashira-sama e a sua saudação. Ele começou parabenizando a comemoração dos 60 anos do Dendotyo e agradeceu a dedicação de todos ao Caminho. Relembrou que a fundação ocorreu em 1951, após a árdua caminhada dos antecessores que passaram por diversos sacrifícios, sempre amparados na vida-modelo de Oyassama e apoiados na providência de Deus-Parens. E, disse: “Penso que o significado deste dia de hoje para nós, que daremos continuidade ao Caminho rumo ao amanhã, está em suceder e transmitir, sem equívocos, os passos deixados pelos antepassados e determinar mutuamente o espírito no sentido de corresponder à intenção divina de que o Caminho segue para as futuras gerações.” Assim, explicou que os 60 anos é o marco para uma nova partida.
Falou sobre o significado do Dendotyo, a Sede Missionária, que é um posto avançado da Sede da Igreja, sendo o local para a comunicação mútua entre os fiéis e também o ponto central das atividades. Ele disse: “deve ser o centro do tratamento e da fertilização, cuidando para que os fiéis, transpondo as diferenças de filiação de igrejas, possam se reunir, ligar os espíritos e incentivar uns aos outros. O papel da sede missionária é pensar em como fazer para animar as igrejas e as casas de divulgação sob sua administração, em como fazer para que os yoboku e fiéis evoluam espiritualmente de modo a corresponder à vontade divina.”
Continuando, ainda disse que é preciso aceitar fielmente a razão de Jiba e que possa ser transmitida para os fiéis corretamente, ou seja, que é necessário haver uma compreensão correta das diretrizes da Sede da Igreja e que fosse transmitida sem equívocos, refletindo a intenção de Deus-Parens e sobre o desejo de Oyassama.
Falou também sobre as pessoas e as igrejas espalhadas em diversos locais. Existem pessoas que moram distantes da sua igreja, mas que frequentam a igreja mais próxima. Porém, a origem de todas as igrejas está em Jiba, ligado diretamente a Deus-Parens e Oyassama, não havendo diferença no ensinamento. Ele disse: “Para que esse ensinamento da vida plena de alegria seja difundido plenamente às localidades, é necessário que os yoboku e fiéis que moram numa mesma localidade liguem os espíritos entre si, independente da igreja a que estão filiados.”
Em seguida, explicou que a Sede Missionária tem o mesmo significado de uma igreja, possuindo a razão da denominação. Ele disse: “Assim como cada igreja existente nas diversas localidades, a Sede carrega também o papel de ser a academia da dedicação sincera à salvação, um modelo de vida plena de alegria nessa localidade.” Ou seja, os fiéis que frequentam a Sede Missionária devem apreciar o ambiente alegre e feliz, e para os que estão desanimados, sentir nascer o ânimo no espírito ao fazerem a reverência.
Ele ainda citou um trecho do Ossashizu, dizendo: “Por haver o caminho antigo é que há o caminho novo. O caminho antigo é do Parens, o caminho novo, dos filhos. Compreendam bem. Por haver o caminho antigo é que se diz caminho novo.” Significa que justamente por existir o caminho da vida-modelo de Oyassama, ou seja, o caminho antigo, o caminho do Parens é que se abriu o caminho das novas gerações, chegando até os dias de hoje.
Ele continuou dizendo: “Até agora, a começar pelo Brasil, as pessoas que se dedicaram ao Caminho na América do Sul, vieram trabalhando animados na dedicação sincera à salvação numa terra distante de Jiba, unicamente amparados em Oyassama eternamente viva, buscando a sua vida-modelo. Às almas desses saudosos mestres e antepassados dos senhores, gostaria de expressar todo o meu respeito e a minha gratidão, do fundo do coração.” Nessas palavras, ele reconheceu e agradeceu aos mestres e fiéis antecessores que dedicaram durante longos anos ao crescimento da fé aqui no Brasil. Por ter havido essa dedicação é que se pode receber a graça do crescimento da fé, da fundação das igrejas e do Dendotyo, que está comemorando os 60 anos.
Depois, falou sobre o caminho que todos nós, fiéis do Brasil, devemos seguir de agora em diante, ou seja, sobre a nossa missão. Ele disse: “Ainda, todos os senhores foram atraídos a este Caminho pelas predestinações individuais e estão trilhando o Caminho neste país. Isso quer dizer que, apesar de haver diferenças na posição social ou no papel que ocupam dentro do Caminho, foi-lhes atribuído igualmente um local para trabalharem pelo Caminho. Gostaria que renovassem o sentimento de que, unindo e ajustando mutuamente as forças, poderão receber a graça da expansão do Caminho nesta localidade.” Sem dúvida, esse foi o pedido feito pelo Shimbashira-sama, dizendo que devemos unir as forças e trabalhar ativamente para o crescimento deste Caminho. Significa que precisamos continuar animados nos trabalhos da divulgação e da salvação.
Em outro trecho, ele falou sobre a nova partida que devemos iniciar: “Pensando no Caminho para as futuras gerações, gostaria que interpretassem o dia de hoje como uma nova partida e tornassem a Cerimônia Comemorativa algo significativo, sem deixar que ela se encerre apenas na empolgação da festa.” Desse modo, não devemos apenas sentir que a festa da comemoração foi algo maravilhoso, mas que mantendo essa alegria em nosso coração, continuarmos animados, fazendo respectivamente o nosso trabalho, para expandir cada vez mais este Caminho.
Esses foram os pontos principais da mensagem do Shimbashira-sama dirigida a todos nós, fiéis do Brasil, na ocasião da cerimônia dos 60 anos. Creio que precisamos fazer das suas palavras a nossa meta, para podermos corresponder ao seu desejo e esse nosso esforço e trabalho será a fonte para recebermos cada vez mais a proteção de Deus-Parens e a graça de Oyassama, e dar uma nova partida para os próximos 10 anos, ou seja, os 70 anos.

Mudando de assunto, este mês temos duas pessoas que fizeram o regresso a Jiba para participarem do Seminário de Oyasato e também irão receber o dom do Sazuke. Uma é a minha filha Hiroe e a outra é a Lury Tomiyoshi. Assim, este mês receberemos a graça de mais dois novos yoboku.

Agradeço as diretoras do Departamento das Moças que hoje vieram explicar sobre as atividades que são realizadas pelas moças. Muito obrigado.

Agradecendo a presença de todos termino assim as minhas palavras.
Muito obrigado.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Boletim de junho de 2011

Palestra de junho de 2011

Agradecimentos pela dedicação ao Kyokai e pela contribuição às obras do Dendotyo, dos 60 anos de fundação.
Esta fim de semana, com a comemoração dos 60 anos de fundação do Dendotyo, encerramos também a contribuição para as obras comemorativas. Agradeço sinceramente a todos que durante 30 meses, oferendaram a sua sinceridade para o Dendotyo e com a ajuda de todos foi possível fazer a construção do novo salão e das salas de aulas além das reformas e preparos para a comemoração. Muito obrigado.
Estamos também finalizando as atividades dos três anos, mil dias, principalmente as determinações feitas pelo kyokai, onde com a união e o trabalho conjunto de todos, pudemos receber numerosas graças em relação ao número de yoboku, participantes do kentei koshu, shuyokai e koshu.
O encerramento das atividades vai ser a participação de todos na comemoração no dia 12 de junho, juntamente com o Shimbashira-sama e esposa que estarão presentes vindos especialmente de Jiba. Vamos manifestar a alegria e a gratidão pela presença deles, comemorando com bastante ânimo a festa de confraternização.

Hoje, gostaria de falar sobre regressar a Jiba e transmitir a razão dos ensinamentos.
Para nós que seguimos o ensinamento de Oyassama, sabemos que regressar a Jiba é uma ação que contem um grande significado. Com certeza, pelo menos uma vez na vida, a pessoa que segue este caminho, fez o regresso a Jiba. Ao regressarmos a Jiba, recebemos a razão da salvação, cumprimentamos Oyassama e também ouvimos a razão dos ensinamentos, ou seja, frequentamos o Besseki e depois recebemos o dom do Sazuke.
Diferente de antigamente, com o desenvolvimento dos meios de transporte, na atualidade usa-se o trem, o avião, o navio, o ônibus e o carro para regressar a Jiba de locais distantes.
Aqui do Brasil, até 1966, há 45 anos, na ocasião dos 80 anos do ocultamento físico de Oyassama, ainda se fazia o regresso de navio, com duração de 45 a 50 dias de viagem. Os mais velhos ainda devem se lembrar dessas longas viagens.
Porém, muito antes dessa época, na época de Oyassama, quando ainda não tinha trem e nem carro, os antecessores faziam o regresso a Jiba a pé. Regressando à Residência reverenciavam Oyassama e ouvindo as suas palavras ou a razão dos ensinamentos através dos mestres, e fazendo disso o presente, voltavam para as suas casas.
Naquela época, os antecessores regressavam à Residência tendo a certeza de que se encontrariam pessoalmente com Oyassama, poderiam ouvir os ensinamentos, e receberiam a razão da salvação. Ou seja, regressavam com essa alegria no coração.
Para nós também, nos dias atuais, tenho a convicção de que nada mudou, e essa continua sendo a alegria de se fazer o regresso, pois sabemos que Oyassama continua eternamente viva na Residência, esperando ansiosamente os queridos filhos.
Todos nós, filhos do Caminho que regressamos a Jiba somos protegidos por Deus-Parens e Oyassama que nos conduzem puxando pelas mãos.
Nos Episódios da Vida de Oyassama existe o relato de reverenda Lin Massui. A sua família entrou para a fé no outono de 1874, quando em uma noite, ela ficou com os olhos inchados e com uma dor insuportável. De nada adiantou os remédios ou os médicos e apesar de ir a vários locais para oração e solicitação, dia a dia a doença foi ficando mais grave e acabou perdendo a visão. Lin estava com 32 anos de idade.
Dois anos antes tinha perdido o marido e ela também tinha uma doença grave em que os médicos tinham dado apenas mais três anos de vida. Tinha três filhos pequenos e nessa condição acabou perdendo a visão.
Após um mês nessa situação, o filho mais velho de 12 anos, que tinha ido até Tatsuta, na volta acabou ouvindo de uma pessoa sobre a deusa-viva de Shoyashiki e contou sobre isso ao chegar em casa. Mesmo não sabendo nem como fazer a solicitação, pediram durante três dias e três noites, mas não receberam nenhuma graça.
Assim, enviaram o empregado até Shoyashiki. Ele saiu de manhã e a tarde chegou à Residência. Reverenciou Oyassama que estava vestida de quimono vermelho e ouviu dos mestres a respeito dos ensinamentos. Escreveu os pontos mais importantes e voltou.
Na anotação constava sobre o corpo emprestado e tomado emprestado, a predestinação, as oito poeiras e outros ensinamentos. Ainda, para se fazer a solicitação de três dias e três noites, era dito para em primeiro lugar estabelecer no espírito os pontos do ensinamentos.
Lin ouviu o filho mais velho ler as anotações e assim ela fez a determinação. “Desde que ouvi a razão dos ensinamentos, não importa como fique o meu corpo. Se for para cumprir a predestinação da minha família, não me importarei com o calor nem com o frio e, mesmo de muletas, dedicarei unicamente à salvação. Doravante, se for nosso caminho, nós três: mãe, filho e filha, passaremos contentes seja em meio ao fogo ou água.” (Episódios da Vida de Oyassama, n° 36)
Deste modo, toda a família determinou firmemente o espírito e solicitou novamente por três dias e três noites. Na manhã do terceiro dia recebeu a graça de poder enxergar de novo.
Logo em seguida regressou a Jiba para agradecer e recebeu de Oyassama as seguintes palavras:
“Aceito esse espírito determinado.”
Apesar de ter escutado pela primeira vez sobre o ensinamento da coisa emprestada e tomada emprestada, sobre a predestinação e as oito poeiras, determinou firmemente o espirito dizendo: “não importa como fique o meu corpo, se for para cumprir a predestinação da minha família, não me importarei com o calor nem com o frio e, mesmo de muletas, dedicarei unicamente à salvação”. Foi esse espírito determinado que foi aceito por Oyassama.
Desde então, passou a regressar frequentemente à Residência para se encontrar com Oyassama. De Osaka, andava por caminhos entre as montanhas, a distância percorrida era de 30 quilômetros. Regressava constantemente, mesmo de dia ou de noite, no calor ou no frio.
Nos episódios consta um fato acontecido entre 1875 ou 1876, ou seja, logo após ter sido atraída para o Caminho, quando regressou num dia de muita neve.
Ao chegar em Yamato a neve começou a cair mais intensamente e o frio ficou mais rigoroso. Ao chegar numa ponte estreita de menos de um metro de largura, sentindo-a perigosa, avançou descalça, gatinhando. Ela desequilibrou-se e quase caiu no rio por várias vezes, mas toda vez que isso ocorria, orava fervorosamente: “Namu Tenri-Ô-no-Mikoto, Namu Tenri-Ô-no-Mikoto”. Desse modo conseguiu atravessar a ponte e chegou à Residência.
Sentiu-se muito agradecida por ter regressado sã e salva. Aqueceu num braseiro as mãos e os pés que estavam congelados e foi cumprimentar Oyassama. Então ela disse:
“Seja bem vinda de regresso. Foi Deus-Parens que a trouxe de regresso guiando-a pelas mãos. Escorregou aqui e ali, foi muito difícil, não? Mas, mesmo nessa dificuldade esteve contente. Deus-Parens aceita plenamente, plenamente. Aceita tudo, inteiramente e concede graças. Tenha prazer, tenha prazer, tenha prazer.” (Episódio n° 44)
Dizendo isso, apertou fortemente as mãos geladas e ela sentiu um calor agradável.
Deus-Parens nos conduz de regresso, guiando pelas mãos em qualquer circunstância. Não só nos dias de neve, mas mesmo em meio à chuva, ao passar por caminhos escorregadios, quase caindo nos abismos, sempre orava em direção a Jiba e agradecia dizendo: “Estou muito grata por ter regressado sem me machucar.”

Regressar a Jiba significa voltar ao Parens, à origem e receber a razão da salvação. Além disso, para cada um existe o dia original e o sentimento de gratidão por ter recebido a salvação e como retribuição, mesmo tendo que passar por algumas dificuldades, regressam alegres e contentes. Com certeza os antecessores passaram dessa maneira.
Todos nós também, durante a caminhada da fé, passamos por diversas situações. Por isso, devemos passar de modo que Oyassama possa nos dizer: “mesmo na dificuldade esteve contente”. Isso é algo que devemos sempre ter em nosso espírito.

A missão do yoboku está em trabalhar para levar a todos os lugares o ensinamento do Parens. O fato de ouvir repetidas vezes o ensinamento e pouco o pouco colocar em prática seja dentro da família e no cotidiano e transmitir a doutrina constantemente para quem ainda não a conhece é a missão de todos nós, yoboku.
Na Grande Cerimônia da Revelação Divina do ao passado, o Shimbashira disse: “Desde a Revelação Divina, este ensinamento tem como objetivo a salvação do mundo e isso em nada mudou até hoje. Para isso, é preciso fazer com que o ensinamento de Oyassama chegue a todos os cantos do mundo. O caminho da salvação do mundo ainda está em seu início.”
Nesses trechos foi enfatizado que para se fazer a salvação de todo o mundo é preciso expandir o ensinamento de Oyassama a todos os lugares e que este caminho da salvação ainda está apenas começando. Por isso, conscientes desse fato, é necessário trabalhar firmemente e com ânimo no caminho da dedicação sincera à salvação.

Falta apenas uma semana até a comemoração dos 60 anos. Vamos comemorar com muita alegria.
Agradecendo a presença de todos termino assim as minhas palavras.
Muito obrigado.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Boletim de maio de 2011

Palestra de maio de 2011

Agradecimentos pela dedicação ao Kyokai e pela contribuição às obras do Dendotyo, dos 60 anos de fundação.
Estamos a praticamente um mês até a comemoração e creio que todos já estão fazendo a reserva nos ônibus das caravanas que vão sair de cada regional para ir ao Dendotyo no dia 12 de junho.
Além disso, agradeço a todos que participaram do Dia do Hinokishin no dia 21 de abril passado no Parque da Independência e também as pessoas que foram ao Dendotyo no feriado para fazer o hinokishin dos preparativos para a comemoração.

Bem, hoje gostaria de falar sobre a postura da fé religiosa.
A fé religiosa começa a partir do momento em que acreditamos no ensinamento. Por mais que a doutrina de uma religião seja maravilhosa, se a pessoa não crê nesse ensinamento, não haverá nenhuma utilidade. Por isso, a fé é quando cremos e nos apoiamos na doutrina e o seu valor passa a existir no momento em que isso passa a fazer parte por toda a vida.
No Mikagura-Uta, tem-se:
Farei com que não tenham dificuldades.
Venham a amparar-se no espírito de Deus. Mik. IX-2
Assim, crer em Deus e se amparar nele significa aceitar sinceramente a intenção de Deus e passar correspondendo ao seu desejo. Se passarmos acreditando no ensinamento e amparado nele, Deus nos concede as graças maravilhosas. Isso parece ser fácil, mas na prática é algo complicado. No Mikagura-Uta, tem-se:
Aquilo que se diz espírito humano
é algo profundamente desconfiado. Mik. VI-1
O ser humano sempre acha que o seu pensamento, a sua maneira de ver as coisas é que estão corretas, por isso tem dificuldades de aceitar outros fatos.
Apesar de existirem mais de 17 mil igrejas da Tenrikyo espalhadas por diversas partes do mundo e que os fiéis estejam praticando a divulgação e a salvação, sabemos o quanto é difícil convertermos as pessoas para este Caminho.
Mesmo aqueles que elogiam o nosso ensinamento, nem sempre se tornam seguidores.
Entretanto, quando Oyassama se tornou Sacrário de Deus em 26 de outubro de 1838 e começou a transmitir os ensinamentos, ninguém deu ouvidos às suas gratas palavras.
Muito pelo contrário, as coisas que Oyassama dizia e fazia estava acima da compreensão das pessoas. Mesmo ela estando certa, pela incompreensão humana, Oyassama passou a ser erroneamente interpretada. Por isso, por mais que tentasse explicar este maravilhoso ensinamento, ninguém prestou atenção e o pior, ela passou a ser considerada louca ou possuída por espíritos malignos. E isso durou aproximadamente 20 anos. Mas, como ela conseguiu fazer com que as pessoas passassem a dar ouvidos ao seu ensinamento?
Passando por muitas dificuldades, Oyassama começou a abrir este Caminho e em pouco tempo, ela passou de louca para a Deusa de Shoyashiki. Como essa transformação foi possível? Não podemos esquecer que ela era Sacrário de Deus e o que podemos tomar como exemplo para o nosso cotidiano, sem dúvida, está demonstrado em detalhes em sua vida-modelo.
Por isso, para nós, é sempre importante aprendermos através da sua vida-modelo, a maneira de transmitirmos o ensinamento para orientar e educar as pessoas para que possam sentir a alegria de seguir esta fé.

Entre muitos discípulos que se converteram à fé, um exemplo pode ser visto através do mestre Izo Iburi. Um ponto em comum a todos é que Oyassama ensinou a necessidade de crer e se amparar no Parens original. Muitas pessoas passaram a procurar Oyassama solicitando a salvação. Entre eles estava Izo que preocupado com a complicação pós-parto da esposa Ossato, veio até a Residência e pediu a salvação. Isso aconteceu em maio de 1864. Foi quando recebeu as seguintes palavras:
“Eu a salvarei. Salvarei, mas, sendo esta a primeira vez que ouve falar neste Deus, denominado Tenri-Ô-no-Mikoto, poderá ser difícil crê-lo.”
Podemos perceber que imediatamente, Oyassama disse que ira salvar a esposa. Esta convicção de salvação somente poderia ser dito por quem criou o mundo e os seres humanos, ou seja, por Deus-Parens. A salvação seria possível se Izo acreditasse firmemente no Deus original, porém, sabendo da desconfiança do espírito humano, disse que talvez de imediato seria difícil crer e se amparar em um Deus desconhecido até então.
Entretanto, Izo Iburi acreditou e confiou desde o primeiro momento em Deus verdadeiro. Essa sua postura foi a origem da maravilhosa graça que a esposa recebeu, vendo-se recuperada em pouco tempo. Desde então, o casal passou o restante da vida, crendo e se apoiando firmemente em Deus-Parens. Este é o modelo de fé que deve ser seguido por todos nós, em qualquer que seja a época.

Quando começou a aumentar as pessoas que foram salvas e passaram a frequentar a Residência para ouvir o ensinamento de Oyassama, imediatamente ela iniciou os preparativos do Serviço Sagrado. Começou em 1866, quando ensinou a música e os movimentos do Ashiki harai e em seguida os 12 hinos.
Desde então, Oyassama apressou e incentivou para que todos aprendessem o mais rapidamente possível o Serviço da Salvação e que fosse realizado com todos completos ao redor do Kanrodai.
Juntamente com esse fato, as autoridades ficaram bem mais rigorosas, e por muitas vezes Oyassama foi levada presa por causa da execução deste Serviço Sagrado.
Podemos citar o fato ocorrido em 23 de dezembro de 1874, quando Oyassama foi intimada para ir até o Palacete Yamamura para averiguação e interrogatório. Dois dias após, no dia 25, a Supervisoria Religiosa de Nara intimou os mestres Tsuji, Nakata e Matsuo para interrogatório, quando lhes foi dito severamente para deixar de seguir a deusa de Shoyashiki, proibindo-os de continuarem a fé e depois confiscaram várias coisas da Residência.
No dia seguinte, 26 de dezembro, Oyassama passou a se vestir com quimono vermelho e temos os seguintes versos do Ofudessaki:
Como estive até agora atrás da persiana, seja o que for, nada tem sido visto. Of. VI-61
Desta vez, por ter saído para um lugar claro, o que quer que seja, se torna prontamente visível. Of. VI-62
O que estão pensando ser este quimono vermelho?
No seu interior, Tsukihi encontra-se abrigado. Of. VI-63
Como temos nestes versos, Oyassama passou a se vestir de quimono vermelho para mostrar claramente a sua autenticidade como Sacrário de Deus e indica também que passaria a atuar mais ativamente para expandir o caminho da salvação. Além disso, nesse mesmo dia, ela entregou o Sazuke para 4 pessoas: Nakata, Matsuo, Tsuji e Massui. No Ofudessaki, tem-se:
Embora até agora, ao falar de doença, ficassem todos preocupados com médicos e remédios, Of. VI-105
Doravante, das dores, sofrimentos e feridas, todos serão salvos por meio de Iki e Teodori. Of. VI-106
Embora essa salvação fosse desconhecida até então, de agora em diante, experimentem-na. Of. VI-107
Desse modo, apesar da opressão das autoridades e da vigilância constante, o Caminho foi crescendo cada vez mais, ou seja, muitas pessoas receberam maravilhosas salvações, através do Serviço Sagrado e da ministração do Sazuke.

Os nossos antepassados também foram salvos através do Serviço Sagrado e da ministração Sazuke. Depois, para poder retribuir a graça da salvação, passaram a vida crendo e se amparando em Deus-Parens e Oyassama. Ao longo da vida, deixaram acumulados méritos e virtudes através da sincera dedicação, com a intenção de diminuir as más predestinações.
Com certeza, em cada época oportuna, como a do decenário de Oyassama ou a da comemoração da fundação do Dendotyo, se esforçaram e se dedicaram ao máximo nas atividades religiosas.
O tempo passou e muitos de nós já somos da terceira ou da quarta geração neste Caminho e agora novamente estamos finalizando a época oportuna da comemoração dos 60 anos de fundação do Dendotyo.
Como tenho dito, gostaria que um grande número de pessoas do nosso kyokai participassem dos 60 anos, no dia 12 do mês que vem. É uma oportunidade única que não vai se repetir e a próxima será somente daqui a 10 anos. Estaremos 10 anos mais velhos. O nosso esforço para participar da comemoração será aceito por Deus-Parens e Oyassama como sinceridade e com certeza estará alegrando as almas dos nossos antepassados.

Bem, mudando de assunto, no mês passado fizemos a arrecadação para as vítimas do terremoto e tsunami ocorrido no dia 11 de março, na costa nordeste do que devastou várias cidades litorâneas. Segundo a agência de notícias, após quase dois meses da catástrofe, o número de mortos ultrapassou as 14 mil pessoas e mais de 11 mil estão ainda desaparecidas. Nas nove províncias atingidas, mais de 70 mil residências foram totalmente destruídas e o número de desabrigados que estão vivendo em abrigos ultrapassa 260 mil pessoas.
Na Sede da Igreja, em Jiba, durante três dias, logo após o terremoto, foi realizado o Serviço de Solicitação tendo ao centro o Shimbashira, onde todos solicitaram a graça da salvação das pessoas envolvidas na tragédia. O corpo de hinokishin de emergência da Sede também partiu logo após o desastre para os locais devastados para ajudar no salvamento das pessoas e na recuperação e limpeza dos escombros.
No mês passado, no dia da Cerimônia Mensal do Dendotyo, a arrecadação chegou a quase 100 mil reais de todos os féis do Brasil e o Primaz regressou a Jiba levando a doação. Agradeço sinceramente à sinceridade de todos. Muito obrigado.
Com certeza, a nossa sinceridade irá minimizar um pouco que seja o sofrimento e a dificuldade das pessoas nesse momento crítico. O Shimbashira, após a Cerimônia Mensal de março, disse o seguinte : “as igrejas, os yoboku e os seguidores que sofreram danos, desejo o quanto antes a sua recuperação e reconstrução. Além disso, para que se reergam novamente, acredito que demorará certo tempo mas, dando atenção, espero que tenham o espírito de estenderem as mãos, não importando a sua função ou posição.”
Podemos entender que o maior desejo do Shimbashira nesse momento crítico é a união de todos, a ajuda mútua e a cooperação de todas as formas possíveis, pois levará muito tempo para que a vida volte ao normal para as pessoas que sofreram danos com a catástrofe. Mesmo estando distante, vamos continuar pedindo diariamente a Deus-Parens e a Oyassama para que todos possam receber a graça da mais rápida recuperação.

Falta apenas um mês até a comemoração.
Hoje vou distribuir este cartão de presença para todos que irão participar da comemoração.
Agradecendo a presença de todos termino assim as minhas palavras.
Muito obrigado.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Boletim de abril de 2011

Palestra de abril de 2011

Aniversário de 213 anos de Oyassama

Agradecimentos pela dedicação ao Kyokai e pela contribuição às obras do Dendotyo, dos 60 anos de fundação.
Estamos a dois meses até a comemoração e creio que todos já estão fazendo a reserva nos ônibus das caravanas que vão sair de cada regional para ir ao Dendotyo no dia 12 de junho. Aqui do kyokai também estará saindo um ônibus de caravana no sábado a noite, dia 11 de junho, que já está lotado.
Além disso, no mês passado começou o hinokishin dos preparativos para a comemoração com a escalação das igrejas e casas de divulgação. O nosso kyokai foi do dia 17 ao dia 22 de março, e algumas pessoas participaram no fim de semana, mas como ainda tem muita coisa a ser feita, gostaria de pedir para quem puder ir, mesmo que seja apenas um fim de semana, fosse fazer o hinokishin no Dendotyo.
Além disso, este ano, o Dia do Hinokishin da regional de São Paulo está marcado para o dia 21 de abril, quinta-feira, feriado de Tiradentes. Como acontece todos os anos, o hinokishin será no parque da independência, no Ipiranga, e todos devem se reunir a partir das 8:30 horas, com pá e vassoura. Espero contar com um grande número de participantes no hinokishin.
Como foi lido na dedicatória, no dia 18 deste mês, é o aniversário de Oyassama que estará comemorando 213 anos. Assim, hoje gostaria de falar um pouco sobre a sua vida-modelo.

Oyassama nasceu no dia 18 de abril de 1798. Ela viveu fisicamente durante 90 anos e a partir do dia 26 de outubro de 1838, durante 50 anos, como Sacrário de Tsukihi, transmitiu diretamente o ensinamento de Deus original e verdadeiro. Demonstrou pessoalmente na prática o caminho da salvação para todas as pessoas e no dia 26 de janeiro de 1887, ocultou-se fisicamente e desde então, continua trabalhando como em vida, devido à razão de Oyassama eternamente viva, e está sempre nos orientando e nos protegendo com o seu imenso amor de mãe.
De acordo com o ensinamento de Deus que foi transmitido através das palavras de Oyassama, no início da criação dos seres humanos, Deus fez uma promessa de trazer de volta à residência original, os instrumentos utilizados na criação humana. De acordo com essa promessa, Oyassama veio a nascer no dia 18 de abril de 1798. Como temos no Ofudessaki:
Quem faz conceber filhos no corpo é Tsukihi.
Quem atende ao nascimento também é Tsukihi. Of. VI-131
Assim, o fato de todos nós nascermos se deve à providência de Deus e em relação à Oyassama, o seu nascimento tem uma profunda intenção com a promessa feita na criação original.
Desde a infância, Oyassama foi um pouco diferente em relação às outras crianças. Isso se deve ao fato de que ela era possuidora da alma predestinada desde a criação original, o que a fazia demonstrar muitas virtudes. Já aos seis, sete anos de idade, colocando os doces ganhos da mãe em saquinhos de pano, distribuía para as crianças da vizinhança e se contentava com a alegria delas. Mesmo observando essa atitude, podemos entender que ela realmente tinha a alma predestinada de quem desempenhou a função de mãe no início da criação original.
Após passar a infância junto com a família, posteriormente se tornou membro da família Nakayama, ao se tornar esposa de Zembee. Como esposa, dedicou-se ao marido, foi atenciosa com os sogros e amável com os empregados e as pessoas que frequentavam a casa, tratando-as com amor e respeito, dando sempre a máxima atenção e cuidado. Em pouco tempo, surgiram comentários como: “que esposa dedicada a dos Nakayama; como é prestativa e educada”.
Em 26 de outubro de 1838, com a chegada do tempo predeterminado, se tornou Sacrário de Deus e de acordo com a intenção divina, passou a transmitir o último e derradeiro ensinamento. Porém, as suas atitudes eram incompreendidas pelas pessoas e pouco a pouco Oyassama passou a ser discriminada e mal falada por aqueles que um dia a tinham elogiado e tinham sido ajudados por ela.
Para quem ouvia pela primeira vez as palavras de Deus e via as suas atitudes pareceu que ela tinha sido possuída por algum espírito maligno ou que tivesse ficado louca. Porém, a intenção de Deus estava clara, quando disse no momento da revelação:
“Desta vez, relevei-me neste mundo para salvar toda a humanidade. Desejo ter Miki como meu Sacrário”. Disse também:
“Aceitem o que Eu, Deus, lhes digo. Se ouvirem, Eu a farei salvar todas as pessoas do mundo”. Essas palavras mostram o compromisso de Deus de fazer a salvação de todos.
Entretanto, após ser estabelecida como Sacrário de Tsukihi, as palavras e as atitudes de Oyassama eram totalmente contrárias ao senso comum da sociedade. Para as pessoas, isso era algo incompreensível. Apesar de ter feito a promessa de ‘salvar todos’, a atitude de cair na pobreza era contrária ao bom senso e aos costumes da época. Isso pode ser entendido porque tentamos medir a intenção de Deus a partir do pensamento humano. Enquanto as pessoas podiam avaliar Oyassama pelo senso comum do ser humano, ela era elogiada e respeitada por suas atitudes, porém quando passou a agir de acordo com a vontade divina, as pessoas continuaram a olhar e a medir da mesma maneira. E isso causou a incompreensão e a discriminação, pois as pessoas tinham a convicção de que os seus costumes e tradições seculares eram o que tinham de melhor no mundo.
Para nós que cremos e seguimos o ensinamento de Oyassama, sabemos que a vida-modelo de cair na pobreza é o caminho para se receber a maravilhosa graça, que é o caminho para desfrutarmos a vida plena de alegria e felicidade. Entretanto, para quem não conhece o ensinamento, mesmo nos dias de hoje, talvez essa atitude seja incompreensível pelo senso comum.
O fato de todos nós, nos dias de hoje, sabermos perfeitamente que esse é realmente o caminho que nos leva à verdadeira salvação se deve à Oyassama que demonstrou pessoalmente em sua vida-modelo, deixando-nos o exemplo e a prova da sua veracidade. Além disso, os mestres veteranos que ouviram e praticaram com sinceridade o ensinamento de Oyassama, receberam maravilhosas graças e passaram a vida com a fé inabalável. Ao pensarmos sobre isso, não só devemos agradecer à Oyassama como também, sentir gratidão pelos mestres veteranos e antepassados que seguiram a vida-modelo com sinceridade e deixaram bons exemplos para as gerações posteriores, chegando até os dias atuais.
Assim, mesmo sendo discriminada, perseguida e até ridicularizada pelas pessoas e pela sociedade, Oyassama, em nenhum momento, sentiu rancor ou raiva delas, nem deixou-se abater pelas severas críticas, mas seguindo sempre a intenção de Deus, caminhou unicamente fazendo a salvação daqueles que sofriam e passavam por dificuldades. Ela se manteve sempre animada, dando o máximo de atenção e cuidado, colocando-se no lugar dos que estavam sofrendo e continuou caindo na pobreza.
Com o passar do tempo, mesmo não compreendendo perfeitamente essas atitudes de Oyassama, ou seja, a intenção de Deus, que eram contrárias ao sendo comum da sociedade, começaram a surgir algumas pessoas que se sentiram tocadas pelo seu amor e carinho e passaram a frequentar a Residência divina. No livro, Vida de Oyassama, temos:
“Oyassama passou assim por grandes dificuldades, durante vários anos, quando surgiu pela primeira vez uma pessoa trazendo-lhe em agradecimento 700 gramas de arroz.”
Esse fato ocorreu quando estavam passando pela profunda pobreza, numa época em que nem familiares, nem parentes ou amigos se aproximavam de Oyassama. O sentimento sincero e sem egoísmo ou ganância é que realmente toca o fundo do coração das pessoas e esse é um inestimável exemplo demonstrado para todos nós através da vida-modelo de Oyassama.

À medida que a família de Oyassama caía na pobreza e as dificuldades aumentavam, as pessoas também se distanciavam cada vez mais. Foi nessa época que teve início a salvação da permissão do parto feliz. Já tinha passado 17 anos desde a Revelação Divina. Oyassama sempre veio dizendo “é tal como a água que, caindo completamente, tende a subir” e foi exatamente a permissão do parto feliz que deu início à subida.
É dito que a permissão do parto feliz é a alvorada do Caminho. Isso porque, não só as gestantes, preocupadas com o parto, mas também, numerosas pessoas com doenças e problemas passaram a procurar Oyassama, solicitando a salvação. Com o passar dos anos esse número foi crescendo e dentre essas pessoas, algumas começaram a se interessar pelo seu ensinamento após serem salvos, receberam diretamente as orientações dela e a ajudaram em seu trabalho de salvação. Essas pessoas é que se tornaram os seus primeiros discípulos que tinham sido orientados ao ponto de passarem a se dedicar sinceramente à salvação.
Entretanto, isso não significa que o Caminho começou a se desenvolver satisfatoriamente. iniciaram os ataques e a violência praticada através dos monges, sacerdotes, médicos e autoridades. Porém, explicando que esses fatos eram nós ou incidentes que mostravam a chegada de uma nova época, como o caminho da salvação de todas as coisas, começou a ensinar o Serviço Sagrado e a fazer os devidos preparativos para a sua conclusão. Orientou e instruiu os mestres para que treinassem e praticassem o Serviço Sagrado o quanto antes.
Atualmente, realizar o Serviço Sagrado é algo natural, sem a necessidade de pedir autorização ou ficar preocupado com as autoridades. Porém, na época de Oyassama, realizar o Serviço Sagrado foi algo que causou muitos sacrifícios à ela e aos mestres. As antigas leis do país não permitiam a prática livre de uma nova religião e isso foi o motivo para trazer muita preocupação principalmente para o primeiro Shimbashira, que nada podia fazer ao ver a idosa Oyassama sendo levada presa pelos policiais.
Para Oyassama também deve ter sido difícil ver a preocupação dos filhos do Caminho e a hesitação entre fazer como Deus desejava ou seguir como mandavam as autoridades. Entretanto, não deixou que o sentimento humano e a emoção do momento deixasse se desviar da razão do caminho ensinado por Deus. Instruiu firmemente sobre o modo de conduzir de acordo com a dedicação única a Deus e isso foi explicado detalhadamente nas diversas indicações divinas que antecederam o dia 26 de janeiro de 1887, quando se ocultou fisicamente.
Oyassama encurtou 25 anos que ainda tinha pela frente apressando a realização do Serviço Sagrado e incentivando a evolução espiritual dos queridos filhos. Desse modo, na nossa vida diária, é importante realizarmos o Serviço Sagrado, tanto de manhã como a noite, pois Oyassama está esperando ansiosamente a sua realização. Além disso, não devemos esquecer de fazer a reflexão das nossas atitudes, para não desviarmos da dedicação sincera à salvação e esforçar para não acumularmos as poeiras espirituais através das atitudes do dia a dia. As pequenas atitudes cotidianas é que gradualmente vão sendo acumuladas e aceitas como sendo a razão da virtude e que se tornarão a origem das graças e das providências que vamos receber em nossas vidas.
Nesse mês em que comemoramos o aniversário de Oyassama, creio que essa determinação seja o melhor presente que podemos dar à ela, mostrando que estamos nos empenhando para praticar o ensinamento e dando mais um passo em nossa evolução espiritual.

Bem, mudando de assunto, como sabem, no dia 11 de março passado, aconteceu o violento terremoto na costa nordeste do Japão e gerou um tsunami de 10 metros de altura que devastou várias cidades litorâneas. Dizem que é a maior catástrofe desde a segunda guerra mundial. Segundo a agência de notícias, até ontem o número de mortos era de 12 mil pessoas e mais de 15 mil estão ainda desaparecidas. Nas nove províncias atingidas, aproximadamente 50 mil residências foram totalmente destruídas e o número de desabrigados que estão vivendo em abrigos ultrapassa 260 mil pessoas. Como consequência, estradas e ferrovias foram destruídas e faltam água, comida e combustível. Além disso, continua o problema do vazamento de radiação da usina nuclear de Fukushima.
Na Sede da Igreja, em Jiba, durante três dias, logo após o terremoto, foi realizado o Serviço de Solicitação tendo ao centro o Shimbashira, onde todos solicitaram a graça da salvação das pessoas envolvidas na tragédia. O corpo de hinokishin de emergência da Sede também partiu logo após o desastre para os locais devastados para ajudar no salvamento das pessoas. Os alojamentos das igrejas também foram cedidos para os desabrigados, e serão oferecidos as refeições sem cobrar nada.
No Dendotyo, no sábado, dia 12, ao meio dia também foi realizado o Serviço de Solicitação. O Primaz comunicou o desejo de enviar uma ajuda em dinheiro para as vítimas do desastre e pediu a colaboração das igrejas e casas de divulgação. Quando ele regressar a Jiba este mês, estará levando a doação para Jiba. Assim, como foi algo de última hora, hoje estamos arrecadando qualquer quantia para ser entregue ao Primaz na semana que vem.
Com certeza, muitas igrejas e casas de fiéis também foram destruídas ou sofreram danos com o terremoto e com o tsunami, e também muitos acabaram perdendo a vida. Para minimizarmos um pouco que seja o sofrimento e a dificuldade das pessoas nesse momento crítico, gostaria de contar com a colaboração de todos. Será uma forma de ajudarmos e salvarmos os nossos companheiros do Caminho que estão vivendo um momento de grave crise humanitária. Peço também que no Serviço Sagrado da manhã e da noite solicitem a Deus-Parens e a Oyassama a providência para que as pessoas recebam a graça da salvação.

Faltam apenas dois meses até a comemoração. Espero que do kyokai, muitas pessoas possam estar presentes no dia 12 de junho. É um evento que acontece apenas a cada 10 anos. Se perdermos essa oportunidade, será somente daqui a 10 anos. É a oportunidade única que temos para alegrar Shimbashira-sama e esposa e com certeza, os nossos antepassados também ficarão muito satisfeitos com a nossa dedicação.
Deixando esse pedido, agradecendo a presença de todos e parabenizando Oyassama pelo seu aniversário, termino as minhas palavras. Depois da reverência, vamos cantar a música para Oyassama, comemorando os 213 anos do seu aniversário.
Muito obrigado.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Tsudoi no YouTube

Link para ver o Tsudoi 2011 no YouTube produzido por Irene Mizumoto.
http://www.youtube.com/watch?v=YhxR3GrrLho&feature=email

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Boletim de fevereiro de 2011

Palestra de fevereiro de 2011

Agradecimentos pela dedicação ao Kyokai e pela contribuição às obras do Dendotyo, dos 60 anos de fundação.

Em janeiro, a partir do dia 4, houve o Curso Estudantil com a participação de 13 pessoas. Módulo 1, foram 5 pessoas e nos módulos 2 e 3, 4 pessoas cada. No Shuyokai, com duração de 28 dias, que terminou ontem, 5 pessoas. Nos dias 21 a 23, foi realizado o Tsudoi, Encontro Infanto-juvenil com a participação de 32 pessoas entre crianças, encarregados e pessoal de hinokishin.
Muito obrigado a todos e demos um grande passo para atingir as metas da determinação espiritual. Mês que vem, teremos a partir do dia 15 de fevereiro, o Curso de Doutrina, Koshu.

Hoje, gostaria de falar sobre a palestra do Shimbashira-sama, que foi realizada no dia 26 de janeiro passado, em Jiba na ocasião da Grande Cerimônia. São orientações que nos ajudam a direcionar o nosso pensamento e a nossa reflexão no momento atual, para sempre estarmos indo em direção ao desejo de Deus-Parens.
Como disse no mês passado, a Grande Cerimônia de Janeiro é realizada para relembrarmos o dia em que Oyassama se ocultou fisicamente aos 90 anos de idade, e fazermos a reflexão sobre a intenção de Deus.
Primeiramente, Shimbashira-sama explicou a situação daquela época, em janeiro de 1887:
“O seu início foi em 1° de janeiro de 1887, quando Oyassama saía do banho e cambaleou subitamente. E, para as pessoas que ficaram preocupadas, Oyassama explanou dizendo: “Isto é o sinal de que o mundo vai se mover”. Nesse dia, não houve nada de anormal, mas em 4 de janeiro, a saúde de Oyassama tornou-se novamente crítica, e consultando a vontade divina através de Izo Iburi, tiveram essas rigorosas palavras:

“Já está suficientemente completo. Até este momento, tenho explicado a respeito de todas as coisas, mas não as tem compreendido claramente. Embora tenha explicado tanto, não há quem tenha compreendido. É lamentável. Estão desconfiados, mas reflitam bem. Se consideram mentira o que Deus diz, este caminho não teria continuado por 49 anos, até o presente. O que disse até agora tem sido realizado. Reflitam através disto. Devo retirar-me já, nestas condições? Devo ocultar-me?”

Essas palavras transmitem o sentimento de impaciência de Oyassama, e a situação em que mesmo as pessoas que seguiam esse Caminho, apesar de Oyassama explanar pessoalmente sobre os fatos que se tornariam conforme as suas palavras, não acreditavam do fundo do coração.
Ao ouvirem: Devo retirar-me já, nestas condições? Devo ocultar-me?
Com certeza todos ficaram preocupados, pois indicava que Oyassama poderia dar o último suspiro nessas condições e de repente, na verdade, ela deixou de respirar e o seu corpo foi se resfriando rapidamente.
Assustados, perceberam que era um erro ficar suspendendo a execução do Serviço tão apressado, sob o pretexto da opressão das autoridades, e no meio da noite, mesmo com o portão e as portas fechadas, para ter o perdão, continuavam diariamente a executar o Serviço secretamente.
Dessa forma, através de cada oscilação da saúde de Oyassama, as pessoas faziam deliberações, consultavam a intenção de Deus, desejando a recuperação por completo da saúde, procurando executar o Serviço que Deus aceitasse.
Oyassama incentivava a execução do Serviço, e a essa vontade divina, todos tinham compreendido suficientemente, mas havia o receio pela opressão policial, e as pessoas não se direcionavam a isso, chegando até o agravamento da saúde de Oyassama, para que tomassem a decisão.
Em seguida Shimbashira-sama disse:
“Assim, em 27 de fevereiro, ou seja, na noite do dia 25 de janeiro do calendário lunar, houve as seguintes palavras:

“Pisando, nivelarei a terra plenamente. Abrindo o portal, abrindo o portal, o nivelamento de todo o mundo. Começarei o nivelamento da terra. Nivelarei a terra abrindo o portal ou nivelarei, nivelarei a terra fechando o portal?”

Nivelar a terra significa deixar o terreno plano. A partir das palavras “nivelarei” e “começarei o nivelamento”, podemos sentir a vibração de que Oyassama sairia pessoalmente e que trabalharia positivamente percorrendo o mundo.

Prosseguindo, no livro “Minuta da Vida de Oyassama”, temos que: “Os seres humanos, aos olhos de Deus-Parens, são todos igualmente irmãos. Pela natureza da alma, não existe a mínima discriminação de alto e baixo, pois todos são iguais. O ponto de partida, para o mundo de vida plena de alegria, está na conversação mútua entre todos em condições de igualdade. Assim explicando, manifestou o desejo de nivelar o espírito de todas as pessoas ”.
Significa que os seres humanos possuem a mesma alma como filhos originários de Deus-Parens, e era seu desejo resolver a condição atual de discriminações de alto e baixo. Para isso, desejava eliminar a consciência ou noção de alto e baixo existente nos espíritos das pessoas.
Nivelar a terra é realmente uma grandiosa intenção de Deus.
Para prosseguir no grande empreendimento que é o nivelamento do mundo, é preciso fazer com que o ensinamento de Oyassama atinja todas as localidades e, para isso, precisamos aumentar ainda mais o número de pessoas que coloque em prática, transmita e difunda o ensinamento.
Comparando com o passado, o caminho tornou-se excelente, mas não apenas se contentar com isso, é essencial que não percamos a concentração e estejamos conscientes de que o caminho da salvação mundial está apenas começando.
O mundo nivelado a que Deus-Parens se refere, não é simplesmente uma sociedade sem desigualdade ou injustiça. Baseado na verdade fundamental de que todos somos irmãos, todas as pessoas são igualmente filhos de Deus-Parens, que deseja o mundo da vida plena de alegria e felicidade em que todos vivam salvando-se mutuamente em harmonia, alegres e cheios de energia.

Ao final Shimbashira-sama disse o sobre a importância do fortalecimento dos laços familiares e a missão do yoboku:
“Quando penso nos relacionamentos sociais atuais, em que não apenas a relação com a vizinhança, mas também, os laços familiares, que mais deveriam confiar e salvarem-se mutuamente, se encontram ameaçados, me veem essas palavras:

Doravante, se todos do mundo, igualmente,
Se salvarem mutuamente em todas as coisas, XII-93
Saibam que Tsukihi aceitará esse espírito,
E fará toda e qualquer salvação. XII-94

Assim, não consigo deixar de pensar na magnitude da obrigação do yoboku, que é divulgar o mundo da vida plena de alegria e felicidade, procurando corresponder à intenção de Deus-Parens, que aguarda um mundo onde as pessoas salvam-se mutuamente em toda e qualquer coisa, a começar da família e das pessoas próximas e, avançando mais ainda, transmita às pessoas de forma ampla, que estamos unidos pelo fato de todos do mundo serem irmãos, ampliando os laços da salvação mútua a partir das pessoas próximas.”
Segundo essas palavras, para este ano, a nossa missão, em primeiro lugar, é ter o ensinamento de Oyassama como norma de conduta dentro da nossa própria família, principalmente a ajuda mútua. Depois levar este ensinamento para as pessoas que estão sem rumo, perdidas e angustiadas, desesperadas com seus problemas, mostrando que é possível mudar o rumo da vida, a partir do momento em que se conhece e se pratica o ensinamento de Deus-Parens.
Assim, juntos estaremos caminhando para a vida plena de alegria e felicidade.

Estamos a menos de 5 meses para os 60 anos de fundação do Dendotyo. Deste modo, rememorando o desejo de Oyassama, juntamente com todos, desejo me animar e trabalhar no sentido de poder atingir as metas da determinação espiritual. Conto com o apoio e a colaboração de todos.
Deixando esse pedido e agradecendo a presença de todos termino as minhas palavras.
Muito obrigado.